25 de julho: Dia Internacional da Mulher Afro Latino-americana e Caribenha

Racismo, sexismo e invisibilização da cultura negra. Para combater essas e outras opressões foi instituída uma data de luta: 25 de julho, Dia Internacional da Mulher Afro Latino-americana e Caribenha. A data, criada em 1992 durante o I Encontro de Mulheres Afro-latina-americanas e Afro-caribenhas, na República Dominicana, é um marco na luta do movimento feminista […]

Racismo, sexismo e invisibilização da cultura negra. Para combater essas e outras opressões foi instituída uma data de luta: 25 de julho, Dia Internacional da Mulher Afro Latino-americana e Caribenha. A data, criada em 1992 durante o I Encontro de Mulheres Afro-latina-americanas e Afro-caribenhas, na República Dominicana, é um marco na luta do movimento feminista negro.

Mas porque um dia só para mulheres afrodescendentes e latinas? Porque além do sexismo existente, as mulheres negras e latinas também são vítimas do racismo. As mulheres negras enfrentam dupla opressão: de gênero e étnico-racial. O feminismo em si não dá conta das pautas específicas como a de recorte de raça, e por muitas vezes invisibilizou, e invisibiliza, as lutas das mulheres negras.

O 25 de julho é uma data para se celebrar a beleza negra feminina e a riqueza cultural dos povos negros, mas também é um dia para se questionar o racismo, o sexismo e a imposição de uma identidade europeia. É um dia importante para as mulheres, principalmente as mulheres negras, se juntarem e criarem estratégias de enfrentamento às opressões históricas da sociedade patriarcal e racista.

Atividades na Grande Vitória marcam o 25 de julho

Para celebrar o dia de hoje, várias atividades estão acontecendo pelo país afora e também aqui na Grande Vitória. Dentre elas uma roda de conversa e rodada de caldos em comemoração a data. A atividade, organizada pelas Secretarias de Direitos Humanos e Cidadania (SEDIR) e de Políticas Públicas para as Mulheres (SEPPOM) e o Conselho Municipal Negro (Conegro), será no Centro de Treinamento de Carapina, às 19 horas.

O Museu Capixaba do Negro “Veronica Pas”, Centro de Vitória, vai receber o “Seminário de Formação Marcha das Mulheres Negras 2015”, que será realizado neste sábado, 25, das8h às17h30. Os interessados em participar do seminário precisam se inscrever por meio do site da Prefeitura de Vitória.

Festival Latinidades

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher Afro Latino-americana e Caribenha, está acontecendo em Brasília o Festival Latinidades, maior festival de mulheres negras na América Latina, que começou dia 22 e segue até o dia 26. O tema do festival esse ano é Cinema Negro, e o objetivo é discutir o protagonismo e a representação das mulheres negras no cinema.

Apesar de ser a maior parte da população feminina no país (51,7%), mulheres negras e pardas são apenas 4,4% do elenco principal dos filmes nacionais, aponta a pesquisa A Cara do Cinema Nacional, feita pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Ainda de acordo com os dados da pesquisa, entre 2002 e 2012 as negras apareceram em menos de dois a cada dez longas metragem nacionais.

 

Cinema raca genero-infografica

Imprima
Imprimir