Ação sindical denuncia retirada de direitos e parlamentares que traíram os trabalhadores

Ação sindical teve apoio da população, que se mostrou insatisfeita com a aprovação da reforma trabalhista

O Sindicato dos Bancários/ES realizou uma ação sindical na manhã desta quinta-feira, 20, em Campo Grande, Cariacica. Diretores e diretoras da entidade percorreram a avenida Expedito Garcia para dialogar com a população sobre as consequências da reforma trabalhista, além de denunciar o presidente ilegítimo Michel Temer (PMDB) e os deputados e senadores que junto a ele arquitetaram a retirada de direitos.

A ação sindical ocorreu na avenida Expedito Garcia, em Campo Grande, e teve apoio da população

Durante a atividade as pessoas abordadas demonstraram descontentamento com a aprovação da reforma. Alguns até se uniram aos sindicalistas para auxiliar na ação distribuindo o informativo que traz informações sobre os prejuízos que a reforma traz para os trabalhadores e trabalhadoras.

“As pessoas com quem conversávamos demonstravam indignação com a reforma, pois têm consciência de que ela é ruim para a classe trabalhadora. Creio que essa indignação e essa consciência são importantes para mobilizarmos a população contra outras tentativas de retiradas de direitos que possam vir, como a reforma da Previdência”, diz o diretor do Sindibancários Carlos Pereira de Araújo, o Carlão.

Carlão destaca a necessidade de não deixar cair no esquecimento o nome dos responsáveis pela aprovação da reforma. Por isso, além do informativo foram levados para as ruas bonecos que representavam o presidente ilegítimo Michel Temer (PMDB) e os senadores Magno Malta (PR), Rose de Freitas (PSDB) e Ricardo Ferraço (PMDB).

Na Câmara dos Deputados, os parlamentares do Espírito Santo que se posicionaram favoráveis na votação que ocorreu no dia 26 de abril foram Evair de Melo (PV), Lelo Coimbra (PMDB), Marcus Vicente (PP), Norma Ayub (DEM) e Paulo Foletto (PSB).

“Esse tipo de ação sindical é importante para que as pessoas saibam quem se posicionou a favor dos mega empresários, banqueiros e mineradoras e contra os trabalhadores e trabalhadoras. Por isso não colocamos somente o boneco do Temer. A reforma foi uma iniciativa do executivo, mas para aprová-la foi preciso o apoio do legislativo, e toda a bancada capixaba no Senado se posicionou a favor. É preciso deixar claro quem são essas pessoas para que os eleitores não votem neles novamente”, salienta.

Imprima
Imprimir