Ação sindical mobiliza bancários em defesa do Banestes público e estadual

Com a distribuição de material da campanha do Banestes, atividade fez parte do calendário de mobilização da Campanha Nacional, abrindo diálogo com empregados sobre importância de fortalecer o caráter público e estadual do banco num contexto de avanço das privatizações.

 

Bancárias e bancários ganharam camisas e fitinhas, levando debate da importância do banco público para o cotidiano das agências

O Sindicato dos Bancários modificou a rotina de trabalhadoras e trabalhadores nesta quarta-feira, dia 13, na entrada do prédio administrativo do Banestes, o Palas Center, no centro de Vitória. Representantes do Sindicato distribuíram camisetas e fitinhas da campanha Esse Banco é da Nossa Conta, dialogando com empregados sobre importância de fortalecer o caráter público e estadual do Banestes num contexto de avanço das privatizações em todo o país.

A mobilização fez parte do Dia Nacional de Luta em Defesa dos Bancos Públicos, uma ação que vem ocorrendo todas as quartas-feiras e que integra o calendário da Campanha Nacional. O clima de participação dos trabalhadores foi grande, sobretudo com a distribuição do novo material da campanha do Banestes, que incluía camisetas e fitas personalizadas.

O diretor do Sindicato Jonas Freire disse que categoria participou ativamente da ação sindical

O diretor do Sindibancários Jessé Alvarenga comentou sobre a importância de mobilizar os bancários contra a apatia: “Foi um ano de ataques aos direitos dos trabalhadores que ocorreu de modo intenso e muito rápido, e as pessoas estão começando a entender o que significam essas reformas”, diz, em referência à reforma trabalhista, que passa a vigorar a partir de novembro, e ao projeto de reforma da previdência.

Imprescindível ao desenvolvimento regional, o Banestes registrou lucro líquido de R$ 161 milhões em 2016, o que demonstra a saúde financeira do banco. Sendo um banco com 92% de capital estatal, a maior parte desse recurso fica para os cofres do Estado e pode ser reinvestida em políticas públicas e nas microrregiões, ajudando no fortalecimento da economia capixaba. Daí a importância de manter o Banestes como patrimônio do povo do Espírito Santo.

Ao mesmo tempo, os diretores do Sindibancários vêm alertando que, desde que o início do ano, bancos públicos e privados, incluindo o Banestes, intensificaram a “onda” de demissões e estão tomando medidas drásticas para operar dentro do novo formato da legislação trabalhista, o que é um risco para os empregos. “Temos que lutar pela preservação do emprego e pela manutenção do padrão de contratação nos bancos, para que a terceirização não avance ainda mais na nossa categoria”, ressalta Jonas Freire, coordenador geral do Sindicato.

O clima de participação das bancárias foi grande, sobretudo com a distribuição do novo material da campanha do Banestes

 

Imprima
Imprimir