Ação Sindical no HSBC denuncia assédio moral e péssimas condições de trabalho

O Sindicato dos Bancários/ES realizou na manhã desta quarta-feira, 13, uma Ação Sindical no HSBC da Avenida César Hilal – agência Praia do Suá – para denunciar práticas de assédio moral e as péssimas condições de trabalho no banco. A abertura da agência foi retardada até o meio-dia. Os diretores do Sindicato realizaram uma reunião […]

O Sindicato dos Bancários/ES realizou na manhã desta quarta-feira, 13, uma Ação Sindical no HSBC da Avenida César Hilal – agência Praia do Suá – para denunciar práticas de assédio moral e as péssimas condições de trabalho no banco. A abertura da agência foi retardada até o meio-dia.

Os diretores do Sindicato realizaram uma reunião com a equipe de gestores e com os empregados da unidade para discutir uma série de problemas vivenciados pelos trabalhadores do banco. “A carência de funcionários e a cobrança constante de metas têm gerado um ambiente de trabalho estressante e que favorece o adoecimento da categoria. Práticas de assédio moral dos gestores, com ameaças de demissão, são comuns, sobretudo nos bancos privados”, diz Fabrício Coelho, diretor do Sindicato dos Bancários/ES.

“Essa conversa com a equipe de gestores e com os funcionários foi importante para conhecermos ainda mais a realidade dos trabalhadores e como se dá a prática do assédio moral nas agências bancárias”, afirma o diretor do Sindicato dos Bancários/ES, Ricardo Rios.

Assédio moral, denuncie!

Qualquer conduta abusiva dos gestores, que atente contra a dignidade física e psíquica do trabalhador, é uma prática de assédio moral. São gestos, palavras ou até pequenas atitudes agressivas, ameaçadoras e desrespeitosas do dia a dia que acabam se tornando recorrentes no ambiente de trabalho. Para combater essa prática, é importante que os bancários denunciem. Se você ou algum colega de trabalho é vítima de assédio moral, busque o Sindicato para que sejam tomadas as medidas políticas e jurídicas cabíveis, orienta o diretor do Sindicato dos Bancários/ES, Ricardo Rios.

Imprima
Imprimir