Acontece nesta sexta a II Marcha Internacional Contra o Genocídio do Povo Negro

Nesta sexta-feira, 22, acontece a II Marcha Internacional Contra o Genocídio do Povo Negro, e pela primeira vez, diversos movimentos negros do estado participam do ato. Com o tema “Reaja ou será morta, reaja ou será morto”, a marcha acontece simultaneamente em mais 18 estados e em outros15 países. Aqui, a concentração da atividade será […]

Nesta sexta-feira, 22, acontece a II Marcha Internacional Contra o Genocídio do Povo Negro, e pela primeira vez, diversos movimentos negros do estado participam do ato. Com o tema “Reaja ou será morta, reaja ou será morto”, a marcha acontece simultaneamente em mais 18 estados e em outros15 países. Aqui, a concentração da atividade será às 15 horas, no Ginásio do Tancredão, em Vitória.

A proposta da marcha é trazer o debate da violência institucionalizada contra os povos negros que diariamente são massacrados em presídios e favelas. De acordo com o “Mapa da Violência de 2012 – a cor dos homicídios no Brasil”, as taxas de homicídio de brancos caíram no período entre 2002 e 2010 de 20,6 para 15,5 homicídios, uma queda de 24,8%; enquanto a de negros cresceu de 34,1 para 36, aumento de 5,6%.

“Nós marchamos nesse 22 de agosto contra o racismo tão presente em nossa sociedade, contra o genocídio dos povos negros. É lamentável os dados que apontam que a maioria da população carcerária é negra. Nossos irmãos e irmãs estão sendo violentados pelo Estado”, comenta Mirtes Santos, uma das organizadoras da Marcha no estado e integrante do Coletivo Negrada, um coletivo de estudantes negros e negras da Universidade Federal do Espírito Santo.

A concentração da II Marcha Internacional Contra o Genocídio do Povo Negro será às 15 horas no Ginásio do Tancredão. O ato seguirá em passeata pelo Centro, passando pelas Avenidas Governador Bley, Princesa Isabel e Jerônimo Monteiro com encerramento no Museu Capixaba do Negro.

“Convidamos toda a comunidade capixaba para se juntar conosco nesta importante Marcha que acontece pela primeira vez aqui no estado. Reaja ou será morta, reaja ou será morto. Nenhum passo atrás”, convida Mirtes. 

Imprima
Imprimir