Agência da Caixa em Jardim Limoeiro retoma abastecimento de água após ação sindical

A agência estava sem água desde sábado. Na terça, 11, A entrada de bancários e clientes só foi permitida depois que o banco providenciou um carro pipa para reabastecer o prédio.

Na manhã desta terça-feira, 11, o Sindicato dos Bancários retardou por cerca de duas horas a abertura da agência da Caixa em Jardim Limoeiro, na Serra, em virtude da falta d’água na unidade, que ocorre desde o último sábado, 08. A entrada de bancários e clientes só foi permitida depois que o banco providenciou um carro pipa para reabastecer o prédio.

A agência estava funcionando em horário especial por conta dos saques das contas inativas do FGTS e tinha previsão de abrir a partir das 8 horas, mas começou os atendimentos por volta das 10 da manhã.

A falta de água, causado por problemas de abastecimento da Cesan, teve início no sábado – quando a agência também abriu excepcionalmente para o atendimento desse público. A instituição financeira solicitou que a Cesan reabastecesse a caixa d’água, o que não aconteceu.

“A Cesan não veio. A Caixa, diante disso, não buscou uma alternativa. Não tinha outra solução a não ser o retardamento da agência como forma de pressionar. Só assim a Superintendência Regional contratou um carro pipa para garantir condições mínimas de trabalho”, diz a diretora do Sindibancários, Fabíola Rodrigues Garcia.

Segundo Fabíola, no sábado e durante a segunda-feira, bancários e bancárias evitaram usar o banheiro. “As trabalhadoras da limpeza pegaram água no prédio ao lado. Elas traziam os baldes e limpavam os banheiros, na medida do possível, e as louças. Mas com o passar do tempo, por não haver água para descarga, o banheiro passou a ficar com um odor muito forte”, afirma Fabíola.

Ela destaca ainda que não foi possível escovar os dentes ou lavar as mãos, e a agência teve que comprar água mineral para os empregados. “Já os clientes tiveram que esperar pelo atendimento sem poder beber água, justamente num momento em que as agências estão lotadas e o tempo de espera para atendimento é bem maior”, ressalta Fabíola.

“A situação revela desrespeito com os empregados e clientes. O próprio banco deveria suspender o atendimento, uma vez que não há condições de higiene. É o banco mais uma vez passando por cima das condições de trabalho”, diz Vinícius Moreira, diretor do Sindicato.

O Sindibancários vai acompanhar a situação da agência de Jardim Limoeiro e, se necessário, fará novas intervenções.

Imprima
Imprimir