Agência do Itaú é paralisada na manhã desta quarta-feira

A ação faz parte do calendário de luta das bancárias e dos bancários do Itaú pelo fim das demissões, contra o assédio moral e por melhores condições de trabalho

Paralisacao-Itau-01-de-junho-2016

Apesar de ter lucro líquido crescente a cada ano, o Itaú insiste em reduzir seu número de funcionários. Contra o alto número de demissões, a sobrecarga de trabalho e a prática de assédio moral, diretores e diretoras do Sindibancários/ES paralisaram a agência do Itaú do Centro de Vila Velha, na manhã desta quarta-feira, 01. A ação faz parte do calendário nacional de luta da categoria e a agência ficará fechada até as 12 horas.

Somente em 2015, o lucro líquido do Itaú foi de R$ 23,36 bilhões, ou seja, 15,4% a mais do que em 2014. Porém, no ano passado a instituição financeira cortou 2.711 postos de trabalho em todo o Brasil. No Espírito Santo foram 50 demissões. Para aumentar seus lucros, os banqueiros penalizam os trabalhadores e trabalhadoras bancários.  Na medida em que o número de funcionários diminui, a demanda de trabalho para os que ficam aumenta, o que acarreta sobrecarga e, consequentemente, doenças ocupacionais, como DORT/LER.

“Este ato faz parte do calendário nacional de luta das bancárias e bancários do Itaú. A Comissão de Organização dos Empregados (COE) vai se reunir para avaliar as nossas reivindicações e a perspectiva é de manter as paralisações até que o banco negocie melhores condições de trabalho e o fim das demissões”, enfatiza o diretor do Sindibancários/ES, Carlos Pereira de Araújo (Carlão).

O corte do número de empregados prejudica também os clientes, que são submetidos a péssima qualidade do atendimento, e amargam um longo tempo de espera nas filas. Além disso, o alto lucro tão alto também está ligado à exploração dos usuários, uma vez que são também resultado da cobrança de altas taxas de juros, por exemplo.

Em 2015, o Itaú também fechou 120 agências físicas e anunciou a implementação das  agências digitais. Essa iniciativa gerará cerca de 15 mil demissões em todo o Brasil. Por meio dessas agências o cliente passará a ter atendimento online, ou seja, feito por um bancário que ele desconhece e com o qual ele não pode dialogar presencialmente.

Assédio moral

As péssimas condições de trabalho também têm provocado o desenvolvimento de doenças psíquicas nos bancários e bancárias do Itaú, como depressão e síndrome do pânico.  Entre os fatos causadores dessas doenças estão a constante pressão por metas e a prática de assédio moral contra os empregados.

Imprima
Imprimir

Comentários