ANABB discute resoluções que podem impactar planos de autogestão

Lideranças e dirigentes de entidades socializaram as informações sobre aos planos de autogestão das empresas estatais, debateram os riscos de uma eventual aprovação das propostas de resolução e ressaltaram a importância de unificar a luta dos trabalhadores pela preservação de seus planos de saúde.

A ANABB realizou na última sexta-feira, 15, o Seminário ANABB: Minutas de Resolução CGPAR, para discutir as Minutas de Resolução Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União, e como elas impactam os planos de saúde de autogestão. Mais de 150 pessoas participaram do seminário em Brasília/DF.

Lideranças e dirigentes de entidades socializaram as informações sobre as diversas autogestões das empresas estatais federais, debateram os riscos que podem advir de uma eventual aprovação das propostas de resolução e ressaltaram a importância de unificar a luta dos trabalhadores, da ativa e aposentados, pela preservação de seus planos de saúde.

Reinado Fujimoto, presidente da ANABB, disse que as propostas irão impactar a vida de todos os participantes. Fuji destacou que mais de 5 milhões de pessoas estão sendo colocadas em risco nos planos de saúde e que o Sistema Único de Saúde (SUS) não vai poder acolher esse número de usuários. “Temos que lutar muito contra essas resoluções”, afirmou. Ele disse ainda que, das discussões do seminário, será produzido um relatório sólido para ser levado aos poderes Executivo, Legislativo e até ao judiciário, se necessário.

Confira a cobertura das mesas de debate:

Primeiro painel: Autogestões e Resoluções CGPAR – Impactos e Riscos
Segundo painel: Resoluções CGPAR e Resoluções ANS – Aspectos Jurídicos
Terceiro painel: Modelos de Custeio Vantagens e riscos
Quarto painel: A Defesa dos Direitos dos Empregados das Empresas Estatais Federais

Com informações da Anabb

Imprima
Imprimir