ANABB realiza hoje entrevistas com economistas das campanhas de Aécio e Dilma

A ANABB realiza nesta segunda-feira, 20, entrevistas com os economistas Armínio Fraga e Alessandro Teixeira. O primeiro é aliado do candidato Aécio Neves (PSDB). O segundo, da candidata Dilma Rousseff (PT). Ambos estão cotados para ocupar a vaga de Ministro da Fazenda caso seus aliados assumam a presidência. As entrevistas têm como objetivo esclarecer sobre […]

A ANABB realiza nesta segunda-feira, 20, entrevistas com os economistas Armínio Fraga e Alessandro Teixeira. O primeiro é aliado do candidato Aécio Neves (PSDB). O segundo, da candidata Dilma Rousseff (PT). Ambos estão cotados para ocupar a vaga de Ministro da Fazenda caso seus aliados assumam a presidência. As entrevistas têm como objetivo esclarecer sobre as propostas dos presidenciáveis e o seu impacto nas instituições bancárias públicas, principalmente o Banco do Brasil.

As entrevistas terão transmissão online pelo site da ANABB (www.anabb.org.br). Elas serão realizadas no auditório sede da Associação. Armínio Fraga será entrevistado a partir das 17h. Alexandre Teixeira, a partir das 19h. O moderador da entrevista será o presidente da associação, Sergio Riede.

Confira na íntegra o posicionamento da ANABB:

Nos últimos dias, vários associados têm questionado a ANABB sobre declarações e propostas que têm sido divulgadas pelas duas candidaturas à Presidência da República a propósito dos bancos públicos e, particularmente, do Banco do Brasil. A preocupação do corpo social tem fundamento, pois o BB ocupa um papel importante na economia, principalmente por ter resgatado algumas funções que dão ainda mais força a sua existência, tais como o papel social do crédito e a permanente atuação para promover a redução das taxas de juros praticadas no país.

Com o objetivo de reforçar e ampliar o compromisso da ANABB com a instituição financeira, o Conselho Deliberativo da ANABB, no primeiro ano da atual gestão, aprovou um Planejamento Estratégico que contempla duas diretrizes principais: defender os interesses legítimos dos funcionários do BB (ativos, aposentados e pensionistas) e contribuir para a construção de um Banco do Brasil útil à sociedade.

E o que é, afinal, um Banco do Brasil útil à sociedade? Para a ANABB, é um Banco que contribua para o desenvolvimento sustentável do País; que esteja disposto a atuar em espaços geográficos onde os bancos privados não tenham interesse de estar; que contribua para a inclusão social dos segmentos menos favorecidos; que pratique políticas de crédito contracíclicas, como fez em 2008, quando os bancos privados restringiram o crédito e os bancos públicos foram responsáveis por realavancar o agronegócio, a indústria e o comércio nacionais; que colabore no financiamento de projetos de longo prazo, como os de infraestrutura; que seja referência de tratamento respeitoso com seus trabalhadores, e assim por diante.

Vale ressaltar que o papel de banco útil à sociedade pode e deve ser complementado pela atuação de outras instituições financeiras públicas e privadas.

Ainda como parte das ações da ANABB para fomentar discussões sobre o papel estratégico do BB foi realizado, em setembro/14, o Seminário Repensando Estrategicamente o Banco do Brasil. O evento contou com a presença de representantes de diversas linhas de pensamento. No primeiro painel do Seminário, participaram representantes das três principais candidaturas à Presidência da República: Alexandre Rands, da equipe de Marina Silva; Mansueto Almeida, da equipe de Aécio Neves; e Márcio Pochmann, da equipe de Dilma Roussef. Uma das questões que eles responderam no debate foi sobre a autonomia ou independência do Banco Central e o papel dos bancos públicos no futuro governo.

Diante do que tem sido discutido na atual campanha presidencial sobre esse assunto, a Diretoria Executiva da ANABB enfatiza o seguinte posicionamento:

a) A ANABB estimula e colabora com o debate político e democrático sobre o papel dos bancos públicos, em especial do Banco do Brasil e do Banco Central no novo governo;

b) A ANABB entende que é fundamental para o País ter um Banco do Brasil forte, atuante, que fomente o desenvolvimento sustentável de todas as regiões e de todos os setores da economia, que dê retorno positivo para os seus acionistas, considerando suas funções distintas da dos bancos privados, e que respeite o seu corpo funcional a ponto de ser considerado um bom lugar para se trabalhar;

c) A ANABB apoia todas as propostas dos candidatos que estejam em sintonia com a ideia de um Banco do Brasil útil à sociedade descrita neste texto;

d) A ANABB combate e condena toda e qualquer proposta que vise a enfraquecer a atuação do Banco do Brasil, notadamente as que defendam ou cogitem a sua privatização;

e) A ANABB está convidando as duas candidaturas do segundo turno para entrevistas separadas na sede da Associação, com vistas a esclarecer as propostas e compromissos que as mesmas assumem em relação aos bancos públicos, especialmente sobre o Banco do Brasil;

f) Após as eleições, a ANABB estará, como sempre, atenta e vigilante para cobrar do governo eleito uma atuação do Banco do Brasil sintonizada com os princípios republicanos defendidos neste texto;

g) A ANABB respeita a diversidade de opções políticas reinante em seu corpo social e por representar a totalidade dos funcionários do Banco do Brasil não apoia, institucionalmente, qualquer candidatura à Presidência da República, a exemplo da postura que adotou nas eleições da Cassi e da Previ.

A Diretoria Executiva da ANABB não tem qualquer constrangimento em elogiar propostas e ações que contribuam para o Banco do Brasil ser mais útil à sociedade, assim como sente-se no dever de questionar e criticar todas as propostas e ações em sentido contrário, como ao longo de sua história de quase 30 anos vem fazendo.

DIRETORIA EXECUTIVA

Imprima
Imprimir