Assédio moral e manutenção de postos de trabalho são temas de reunião entre o Sindibancários e o HSBC

Diretores do Sindicato dos Bancários/ES se reuniram com o Superintendente do HSBC, Pedro Alexandre Koch, na superintendência da instituição financeira, na Enseada do Suá, na manhã da quarta-feira, 05. Durante o encontro foram debatidos os temas condições de trabalho e a possibilidade de demissão em massa por causa da compra do HSBC pelo Bradesco. Participaram […]

Diretores do Sindicato dos Bancários/ES se reuniram com o Superintendente do HSBC, Pedro Alexandre Koch, na superintendência da instituição financeira, na Enseada do Suá, na manhã da quarta-feira, 05. Durante o encontro foram debatidos os temas condições de trabalho e a possibilidade de demissão em massa por causa da compra do HSBC pelo Bradesco. Participaram da reunião os diretores Jessé Alvarenga, Lizandre Borges e Lucimar Barbosa.

O coordenador geral do Sindibancários, Jessé Alvarenga, afirma que uma das principais preocupações do Sindicato é com a defesa do emprego dos trabalhadores e trabalhadoras do HSBC e do Bradesco. “Apesar dos dois bancos afirmarem em reuniões com representantes da Contraf, dos sindicatos dos bancários de São Paulo e de Curitiba e com q Fetec Paraná que não haverá redução de postos de trabalho, experiências passadas de incorporações foram muito insatisfatórias para os trabalhadores por causa das demissões. Por isso, temos que nos mobilizar para garantir os empregos”, defende Jessé.

No que diz respeito às condições de trabalho, o principal assunto debatido durante a reunião foi a questão do assédio moral. “Relatamos que recebemos denúncias que há casos de assédio moral em algumas agências, tanto no interior quanto na Grande Vitória. O superintendente afirmou que tanto ele quanto o banco não aprovam essa prática e abriu espaço para que o Sindicato faça reuniu nas agências do HSBC para conversar com os trabalhadores sobre assédio moral, assédio sexual e outras questões. O Sindicato vai procurar as agências e agendar essas reuniões”, diz Lizandre.

Reunião em São Paulo

A reunião mencionada por Jessé, da qual a Contraf participou, aconteceu na terça-feira, 4. O encontro serviu para os dirigentes sindicais conhecerem detalhes da negociação, como o fato de o comando das operações só serem transferidos em janeiro de 2016. As direções dos bancos garantiram que não haverá demissão em massa. Mas as entidades sindicais continuarão acompanhando todo o processo de compra e venda.

Fusões aumentam concentração do sistema bancário

O número total de empregados do HSBC no País, em dezembro de 2014, era de 20.165 trabalhadores e o número de agências bancárias no Brasil era de 853 unidades. O setor bancário brasileiro já vive um oligopólio. Em 2014, os seis maiores bancos (BB, Itaú-Unibanco, Bradesco, CEF, Santander e HSBC) passaram a concentrar 82,5% do Ativo Total do Sistema Bancário Brasileiro. Em 1999 esse mesmo índice era de 59%. Com relação às operações de crédito observa-se a mesma tendência: enquanto em 1999 os seis maiores bancos possuíam pouco mais de 60% do total de operações de crédito do setor, em 2014 essa participação chegou a 84%.

Os cinco maiores bancos, antes da aquisição, concentravam 80% dos ativos, 84% do crédito, 87% dos depósitos à vista, 95% dos depósitos de poupança e 87% das agências. Depois da aquisição do HSBC, concentram 83% dos ativos, 86% do crédito, 92% dos depósitos à vista, 96% da poupança e 91% das agências.

Com informações da Contraf

Imprima
Imprimir

Comentários