Atenção bancárias da Caixa: em caso de horas extras, cumpram o intervalo de 15 minutos

Desde a última quarta-feira, 9, a Caixa Econômica Federal alterou as regras sobre horas extras determinando que as bancárias cumpram o intervalo de 15 minutos estabelecido pela CLT para as mulheres antes de iniciar a prorrogação de jornada. A orientação do Sindicato, portanto, é que ninguém faça horas extras sem necessidade. Se for imprescindível, as […]

Desde a última quarta-feira, 9, a Caixa Econômica Federal alterou as regras sobre horas extras determinando que as bancárias cumpram o intervalo de 15 minutos estabelecido pela CLT para as mulheres antes de iniciar a prorrogação de jornada.

A orientação do Sindicato, portanto, é que ninguém faça horas extras sem necessidade. Se for imprescindível, as bancárias interrompam o trabalho ao fim da jornada normal, registrando a saída; façam os quinze minutos de intervalo fora do ambiente de trabalho e só depois retornem e registrem a jornada extra.

O intervalo está previsto na CLT, lei de 1943. Hoje, no entanto, com a Constituição de 1988 que garantiu igualdade entre homens e mulheres, não é cabível tal medida exclusivamente para as mulheres”, avalia a diretora do Sindicato Lizandre Borges.

Ela lembra que, na prática, o cotidiano atribulado muita vezes leva o trabalhador e a trabalhadora a estenderem a jornada sem o intervalo, ficando a mulher, nesse caso, prejudicada, pois não recebe os quinze minutos pagos aos homens. “O movimento sindical já analisa a constitucionalidade de tal medida”, informa Lizandre.

O Banco do Brasil comunicou na semana passada que as mulheres estão desobrigadas de cumprir o intervalo de 15 minutos antes da jornada extraordinária.

Imprima
Imprimir

Comentários