Atenção bancários: compensação de horas de greve passa a valer a partir da assinatura da CCT

A compensação dos dias de greve deverá ser feita em no máximo uma hora extraordiária, de segunda a sexta-feira, até o dia 15 de dezembro, conforme negociado na mesa única da Fenaban. A regra, contudo, só passa a valer a partir da assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho. Até lá, os bancários não podem ser […]

A compensação dos dias de greve deverá ser feita em no máximo uma hora extraordiária, de segunda a sexta-feira, até o dia 15 de dezembro, conforme negociado na mesa única da Fenaban. A regra, contudo, só passa a valer a partir da assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho. Até lá, os bancários não podem ser pressionados a realizarem a compensação e as horas extras realizadas deverão ser contabilizadas normalmente.

Banestes

Para os bancários do Banestes, a compensação de horas será de 50% da regra definida junto à Fenaban, segundo cláusula estabelecida nas negociações específicas com o Banco. A regra também valerá a partir da assinatura do Acordo Coletivo.

Imprima
Imprimir