Ato contra reforma da Previdência leva trabalhadores às ruas de Vitória

Um abraço simbólico na sede do INSS, situado na Beira Mar, em Vitória, marcou o protesto contra a proposta de reforma da Previdência nesta segunda-feira, 19. Ato fez parte do Dia Nacional de Luta realizado em todo país.

Diretores do Sindibancários/ES durante o ato contra reforma da Previdência

Um grande abraço simbólico na sede do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), situado na Beira Mar, em Vitória, marcou o protesto contra a proposta de reforma da Previdência, realizado nesta segunda-feira, 19. O ato fez parte do Dia Nacional de Luta realizado em todo país. No Espírito Santo, a manifestação teve início na Praça Oito e seguiu em marcha pelo Centro de Vitória, Avenida Beira Mar até a sede do INSS.

Carlão: “Não podemos de forma alguma aceitar essa reforma”

Organizado pelo movimento Capixabas Contra a Reforma da Previdência, o ato reuniu trabalhadores representantes de diversas centrais sindicais, integrantes de movimentos sociais e servidores públicos. Durante o protesto, o diretor do Sindibancários/ES, Carlos Pereira Araújo (Carlão), desmentiu a alegação do governo de que o sistema previdenciário é deficitário e apontou que quem vai pagar essa conta será os trabalhadores, se aprovada a reforma da Previdência.

“O próprio Senado fez uma auditoria na Previdência e comprovou que o sistema não é deficitário. O que o governo quer é pagar a dívida pública com a morte e o suor dos trabalhadores. Não podemos aceitar essa reforma”, frisou Carlão.

Segundo ele, a proposta de reforma da Previdência “é mais uma reforma capitalista para atender aos interesses dos bancos, das mineradoras e dos mega-empresários. “Isso é um roubo! Por isso, a classe trabalhadora está nas ruas para protestar e lutar pelo seu direito à aposentadoria”, afirma o diretor do Sindicato.

O vampirão Michel Temer (PMDB)

Chantagens

Depois de fazer negociações escusas com governadores e parlamentares oferecendo até empréstimo na Caixa, nesta segunda-feira,19, o presidente ilegítimo Michel Temer (INSS), já sem apoio e credibilidade, chegou a afirmar publicamente que a intervenção militar decretada para o Rio de Janeiro na última sexta-feira (16) poderá ser suspensa a qualquer momento, caso haja condições de votar a reforma que põe fim à aposentadoria de milhares de brasileiros.

Ainda durante o protesto em Vitória, manifestantes destacaram alguns nomes de parlamentares que podem votar a favor da reforma da Previdência. Eles também entoaram gritos de ordem: “Quem votar a favor da reforma, não volta ao Congresso Nacional”. Por isso, é importante que todos acompanhem em sua região e pressione os deputados federais e senadores capixabas a votarem contra a reforma. Muitos deles já votaram no ano passado pela reforma trabalhista, que revogou direitos garantidos pela CLT. Agora, a bancada de parlamentares capixabas pode ajudar a retirar ou manter o seu direito à aposentadoria.

Manifestantes alertam para parlamentares que votarem a favor da reforma

Entenda a reforma 

São necessários 308 votos para garantir a votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da reforma da Previdência, que prevê o aumento da idade mínima de concessão da aposentadoria para 62 anos, no caso das mulheres, e 65 anos para os homens. Embora ainda não tenha conquistados os 308 votos necessários para aprovar as alterações nas aposentadorias, o governo federal estabeleceu o dia 28 de fevereiro como o prazo final para aprovar a medida que entra em semana decisiva.

Mais imagens do ato nesta segunda (19): 

Saiba mais: 

 

 

Imprima
Imprimir