Ato em defesa da Previdência mobiliza trabalhadores nesta sexta-feira (22)

Trabalhadores do campo e da cidade, sindicatos e centrais sindicais vão às ruas contra a proposta de reforma da Previdência apresentada por Bolsonaro. A concentração será às 8h, na pracinha de Jucutuquara

Em defesa da aposentadoria e contra a retirada de direitos, trabalhadores são convocados a participarem nesta sexta-feira, 22, do Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência. A manifestação  acontece em várias capitais do Brasil e é um ato preparatório para a greve geral dos trabalhadores. Em Vitória, a concentração será às 8 horas, na pracinha de Jucutuquara.

A proposta de reforma da Previdência (PEC 6/2019) do governo Bolsonaro coloca em risco a garantia de aposentadoria dos trabalhadores da ativa e até mesmo de quem já se aposentou. Isso porque no modelo de capitalização proposto, os trabalhadores da ativa passarão a contribuir com um fundo privado, e não mais com o INSS. Sem receber recursos, como o INSS irá pagar os benefícios de saúde, pensões e aposentadoria?

Sem falar que os empregadores estarão isentos de qualquer contribuição obrigatória à Previdência. Ou seja, o trabalhador será o único responsável em contribuir com sua aposentadoria e ainda correrá riscos  ao colocar o dinheiro em fundos de investimentos.

Votação no Congresso

Apesar de todas essas graves ameaças aos trabalhadores e trabalhadoras, a proposta de reforma da Previdência de Bolsonaro já tem apoio total de 95  deputados federais e parcial de 54, de acordo com levantamento divulgado pelo portal de notícias Valor Econômico.

Dentre os deputados capixabas, Dra. Soraya Manato (PSL) e Norma Ayub (DEM) já declararam voto a favor da proposta, e o deputado Felipe Rigoni (PSB) apoia parcialmente a PEC. Já os deputados Amaro Neto (PRB), Da Vitória (PPS), Evair de Melo (PP) e Lauriete (PR) ainda não definiram posicionamento. Somente os parlamentares Helder Salomão (PT) e Sérgio Vidigal (PDT) são contra a PEC 6/2019.

“Convidamos todos os bancários e bancárias a participarem do ato. A garantia do direito à aposentadoria depende da nossa mobilização, da nossa luta nas ruas. Além disso, precisamos pressionar os parlamentares capixabas a votarem a favor daqueles que os elegeram. A proposta de reforma de Bolsonaro é um projeto de morte para a maioria da população brasileira e é inaceitável um parlamentar, representante do povo, ser a favor dela”, enfatiza o diretor do Sindibancários/ES e representante da Intersindical, Idelmar Casagrande.

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, também declarou apoio à reforma. “É no mínimo contraditório o posicionamento de Casagrande. Oriundo da área rural do estado, conhecedor da realidade dos trabalhadores do campo que serão penalizados com a PEC 6/2019, Casagrande trai seus milhares de eleitores, que são trabalhadores, ao apoiar essa proposta”, observa  o diretor do Sindibancários/ES.

Confira o posicionamento dos deputados e deputadas capixabas

Fonte: Valor Econômico

 

 

 

 

 

Imprima
Imprimir