Bancária do Banco do Brasil é ameaçada por cliente

Uma bancária que atua como caixa na agência Pio XII, no Centro de Vitória, foi ameaçada por um cliente no local de trabalho, nesta segunda-feira, 09. O cliente ficou irritado depois de ser encaminhado para outro setor de atendimento após ter esperado mais de uma hora na fila do caixa. Em tom de ameaça, ele […]

Uma bancária que atua como caixa na agência Pio XII, no Centro de Vitória, foi ameaçada por um cliente no local de trabalho, nesta segunda-feira, 09. O cliente ficou irritado depois de ser encaminhado para outro setor de atendimento após ter esperado mais de uma hora na fila do caixa. Em tom de ameaça, ele disse que resolveria o problema com a bancária fora da agência. A funcionária do BB registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia Civil da região. O Sindicato esteve no banco para apurar a denúncia e acompanhar a empregada.

 De acordo com a diretora do Sindicato dos Bancários/ES, Maristela Corrêa, ameaças e outros conflitos com clientes têm acontecido em diversas agências, sobretudo em função da demora no atendimento. “Essa insatisfação é resultado direto da falta de funcionários nas unidades –principalmente de caixas –, que vem sendo frequentemente denunciada pelo Sindicato. Só conseguiremos resolver esse problema com a contratação de mais empregados”, argumenta a diretora.

Segundo Maristela, o sindicato já recebeu denúncias até de objetos arremessados em direção aos caixas, além de discussões envolvendo clientes insatisfeitos dentro e fora da agência.

Sem segurança

No momento do incidente não havia vigilante próximo aos caixas da unidade, aumentando a insegurança da funcionária. “O banco acatou a regra de biombos como medida de segurança, mas não garantiu a presença do vigilante ao lado das divisórias, o que é fundamental tanto para prevenção contra roubos e assaltos quanto para prevenir eventuais conflitos”, explica Maristela.

Criação da PSO agrava situação na agência Pio XII

A falta de bancários na agência Pio XII foi agravada após a instalação das Plataformas de Suporte Operacional (PSO). Antes, havia uma bateria de caixas para a agência Pio XII, que atendia apenas pessoas físicas, e outra bateria de caixas para a agência Vitória, que atendia apenas pessoas jurídicas. Em 2013 as baterias foram unificadas, passando a funcionar com número reduzido de caixas, o que sobrecarregou os empregados e prejudicou o atendimento.

Nos horários de maior movimento, o atendimento na agência demora até uma hora e meia. Atualmente, a dotação é de 5 caixas, mas a unidade tem funcionado com apenas 4, que atendem, em média, 400 clientes por dia. Além disso, cada caixa precisa fazer diariamente cerca de 300 autenticações.

Mais de um ano após e extensão das plataformas para todo o país, os problemas no Banco do Brasil só aumentam, sejam no atendimento, sejam para administradores e funcionários. Por isso, o 24° Congresso Nacional dos Funcionários do BB deliberou pelo fim do projeto PSO. A reivindicação consta na minuta específica dos empregados do Banco do Brasil na Campanha Salarial 2013. Os bancários querem que os caixas e gerentes de serviço voltem a pertencer às agências. Dessa maneira, a gerência teria mais autonomia para controlar o atendimento e o número de caixas conforme a demanda da unidade, garantindo um atendimento mais eficiente e evitando situações de conflito.

Imprima
Imprimir