Bancário do Itaú é reintegrado após demissão injusta

Nesta terça-feira, 08, o bancário do Itaú Afrânio Lisboa da Silveira foi reintegrado ao banco Itaú, após ação judicial movida por meio do Sindibancários/ES. Mesmo ocupando o diretor da cooperativa Copbanef, Silveira foi demitido sem justa causa no dia 29 de outubro. Essa é quarta reintegração de empregados do Itáu feita pelo Sindibancários/ES neste ano. […]

Nesta terça-feira, 08, o bancário do Itaú Afrânio Lisboa da Silveira foi reintegrado ao banco Itaú, após ação judicial movida por meio do Sindibancários/ES. Mesmo ocupando o diretor da cooperativa Copbanef, Silveira foi demitido sem justa causa no dia 29 de outubro. Essa é quarta reintegração de empregados do Itáu feita pelo Sindibancários/ES neste ano.

O Itaú está entre os bancos líderes em demissões, acompanhando do Banco do Brasil, Bradesco, Santander e HSBC. Juntas, essas instituições demitiram 3.980 bancários e bancárias de janeiro a outubro deste ano. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego.

“O desrespeito às leis e a intransigência com os empregados são marcas do Itaú. Esse é um dos bancos líder em demissões e essa prática tem sido cada vez mais frequente. O que vemos é o descumprimento da lei e desrespeito aos bancários. Mas não vamos aceitar calados essa forma de gestão. Seja por meio de ações judiciais ou sindicais vamos continuar denunciando as inúmeras irregularidades cometidas pelo Itaú”, enfatiza o diretor do Sindibancários/ES, Robson Gusmão.

De acordo com a decisão da juíza titular da 9° Vara de Trabalho de Vitória, Lucy de Fátima Cruz Lago, “os empregados eleitos diretores de cooperativas, caso do requerente, possuem estabilidade provisória, na forma da previsão do art. 543, § 3º, da CLT, ou seja, do momento do registro da candidatura até um ano após o final do mandato”.

Em julho e outubro, três outros bancários foram reintegrados ao banco. Em todos os casos as demissões ocorreram de forma irregular.

Imprima
Imprimir

Comentários