Bancários aprovam adesão à greve geral do dia 30 de junho

Convocada pelas centrais sindicais em nível nacional, a greve será mais um protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência que tramitam no Congresso Nacional.

Em assembleia na noite desta terça-feira, 20, os bancários capixabas aprovaram a participação da categoria na greve geral marcada para o dia 30 de junho. Convocada pelas centrais sindicais em nível nacional, a greve será mais um protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência que tramitam no Congresso Nacional, nos moldes do realizado no dia 28 de abril, quando o Brasil parou em defesa dos direitos conquistados ao longo dos anos.

Até o dia 30, os bancários farão panfletagens e divulgação dos nomes dos parlamentares capixabas que estão votando a favor das reformas, de maneira a construir a greve e pressionar deputados e senadores pela não aprovação dos projetos que retiram direitos dos trabalhadores.

Primeira Vitória

A pressão popular já começa a dar resultados. Nesta terça-feira, 20, foi rejeitado na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal o texto base da reforma trabalhista. Foram 10 votos contrários ao relatório do senador Ricardo Ferraço (PSDB), que defendeu a reforma do Governo Temer, e nove favoráveis. Agora o texto segue para apreciação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

“A vitória dos trabalhadores na comissão do Senado é resultado concreto da nossa luta e da nossa unidade”, afirmou o coordenador geral do Sindicato, Jonas Freire, lembrando da greve nacional do dia 28 de abril e do movimento do dia 24 de maio, quando manifestantes enfrentaram bombas de gás e a truculência da Polícia Militar no protesto na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, contra as reformas e pela saída do presidente Michel Temer.

Imprima
Imprimir