Bancários continuam luta pelo fim das demissões no Bradesco

Mesmo com lucro de R$ 4,113 bilhões nos três primeiros meses deste ano, o Bradesco cortou 1.466 postos de trabalho no mesmo período

Paralisacao-Itau-Centro-Vila-Velha-01-de-junho-2016

A luta pelo fim das demissões do Bradesco continua. Diretoras e diretores do Sindibancários/ES circulam pelas agências do Bradesco do Centro e da Glória, em Vila Velha, nesta quarta-feira, 01, distribuem panfletos e realizam reuniões com bancários e clientes, denunciando como o Bradesco tem lucro cada vez mais crescente explorando seus empregados e clientela.

Além de reivindicar o fim das demissões, os bancários e bancárias lutam contra a prática cotidiana de assédio moral que ocorre dentro do banco. Com altos lucros, o Bradesco mantém uma política de gestão baseada na redução de empregados, sobrecarga de trabalho e pressão para cumprimento de metas. Somente nos três primeiros meses deste ano, o Bradesco lucrou R$ 4,113 bilhões  e, apesar da alta rentabilidade, cortou no mesmo período 1.466 postos de trabalho.

Além disso, as manifestações também têm como objetivo pressionar o banco a negociar a pauta específica.  “Vamos continuar com as manifestações e exigir que o Bradesco coloque fim a essa política de demissões e de opressão aos empregados. Nossa luta também é para que o banco saia da inércia e avance na negociação da pauta específica, garantindo aos bancários o direito a licença paternidade estendida, o acompanhamento de filhos com deficiência ao médico, a liberdade dos empregados usarem bigode, entre outras reivindicações. O Bradesco é o único banco que nega esses direitos aos seus empregados”, destaca o diretor do Sindibancários/ES, Fabrício Coelho.

A nova rodada de negociação com o Bradesco será realizada no próximo dia 06 de junho. Na última semana, o Sindicato também paralisou a agência do Bradesco do Centro de Vitória, no Dia Nacional de Luta pelo fim das demissões. Confira como foi a ação.

Imprima
Imprimir