Bancários criticam ausência de proposta da Fenaban e afirmam que há expectativa de greve na categoria

Em plenária realizada na noite desta quinta-feira, 11, em Vitória, os bancários e bancárias da região metropolitana avaliaram o resultado das negociações da Campanha Nacional 2014. Em relação à mesa única da Fenaban, houve críticas à condução das negociações pelo grupo majoritário do Comando Nacional e à ausência de um calendário de lutas da categoria. […]

Em plenária realizada na noite desta quinta-feira, 11, em Vitória, os bancários e bancárias da região metropolitana avaliaram o resultado das negociações da Campanha Nacional 2014. Em relação à mesa única da Fenaban, houve críticas à condução das negociações pelo grupo majoritário do Comando Nacional e à ausência de um calendário de lutas da categoria.

A quarta rodada de negociação da mesa unificada terminou ontem, sem apresentação de uma contraproposta patronal. Uma nova rodada foi marcada para os dias 16 e 17, mas a Fenaban só se comprometeu a apresentar uma proposta global no dia 19 de setembro.

“Os banqueiros já tiveram tempo de dar uma resposta à categoria, mas continuam enrolando. O grupo majoritário do Comando Nacional, ligado ao PT, tem adiado o calendário de mobilização em função do calendário eleitoral. Há uma expectativa de greve entre a categoria e é momento de fortalecer a mobilização, com ações sindicais e paralisações. Não podemos deixar que a luta da categoria seja prejudicada em função de interesses partidários. Temos que respeitar a database, que é em setembro”, critica Jessé Alvarenga, diretor do Sindicato dos Bancários/ES.

A bancária do Banco do Brasil Giovana Pinto, da agência Moscoso, acompanhou a atividade e cobrou mais envolvimento da categoria na Campanha Nacional. “As pessoas estão muito apáticas, talvez por receberem tantas negativas em relação às reivindicações. A categoria deveria se envolver mais, principalmente os jovens, para injetar ‘sangue novo’ e avivar o movimento”.

Negociações estaduais

Na negociação com o Banestes os bancários garantiram sua primeira Vitória. Na última rodada específica, realizada na quinta-feira, 11, o banco garantiu um aumento de 2% no percentual de contribuição da Baneses, que passa de 7 para 9%. Apesar disso, a avaliação dos banestianos é de que é de ainda há muito o avançar.

“Ainda temos muitas coisas para discutir, já que existem eixos de negociação importantes em aberto. Além disso, o banco se recusou a debater as perdas salariais acumuladas, vinculando o índice de reajuste ao Acordo com a Fenaban. Por isso é importante que os bancários do Banestes permaneçam mobilizados e construam as atividades da Campanha Nacional”, destaca Jonas Freire, diretor do Sindicato/ES.

Imprima
Imprimir