Bancários da Caixa Econômica são submetidos à jornada excessiva de trabalho

Excesso de horas extras, jornadas excessivas e acúmulo de trabalho são algumas das situações a que bancários e bancárias da Caixa Econômica são submetidos. Denúncias de trabalhadores revelam que o descumprimento da carga horária de seis horas tornou-se comum e, devido ao excesso de trabalho, eles são obrigados a cumprir no mínimo duas horas extras […]

Excesso de horas extras, jornadas excessivas e acúmulo de trabalho são algumas das situações a que bancários e bancárias da Caixa Econômica são submetidos. Denúncias de trabalhadores revelam que o descumprimento da carga horária de seis horas tornou-se comum e, devido ao excesso de trabalho, eles são obrigados a cumprir no mínimo duas horas extras por dia.

Apesar de inúmeras tentativas de negociações com as superintendências, com a realização de mesas redondas para conciliações, a Caixa Econômica não apresenta soluções efetivas para solucionar o problema. A diretora do Sindibancários/ES, Lizandre Borges, destaca ainda que muitos trabalhadores chegam a cumprir carga horária além do permitido, com mais de 10 horas de trabalho, e não registram o ponto.

“Não existe mais o cumprimento da jornada de 06 horas na Caixa Econômica. Apesar da quantidade de pessoas contratadas, não é o suficiente para suprir o número de empregados que se desligam do banco. A Caixa oferece uma ampla gama de serviços para a população, mas as agências não contam com o número de funcionários suficiente para atender a demanda, sobrecarregando os bancários e bancárias”, afirma.

A diretora ressalta ainda que inúmeras agências são abertas com uma quantidade de empregados já abaixo do necessário. “As novas agências já abrem com sobrecarga de serviços para os bancários. Essa situação deixa evidente que a Caixa Econômica amplia o atendimento e o número de serviços oferecidos, mas não oferece as condições de trabalho adequadas e não está preocupada com a saúde de seus empregados”, frisa. O Sindibancários/ES informa que está monitorando as denúncias recebidas e irá tomar as medidas necessárias para que a Caixa Econômica cesse com essa situação de precarização do trabalho.

Imprima
Imprimir