Bancários do Bandes reivindicam cumprimento do Acordo Coletivo

Bancários e bancárias do Bandes, diretores do Sindibancários/ES e delegados sindicais participaram nesta quarta-feira, 11, de uma ação sindical para cobrar do banco o cumprimento do Acordo Coletivo 2013/2014. Em forma de protesto, os empregados colocaram uma tarja preta na roupa. O Bandes está desrespeitando importantes pontos em processo de negociação desde o último Acordo […]

Bancários e bancárias do Bandes, diretores do Sindibancários/ES e delegados sindicais participaram nesta quarta-feira, 11, de uma ação sindical para cobrar do banco o cumprimento do Acordo Coletivo 2013/2014. Em forma de protesto, os empregados colocaram uma tarja preta na roupa. O Bandes está desrespeitando importantes pontos em processo de negociação desde o último Acordo Coletivo, como a implantação de critérios claros nos processos de seleção interna.

Diante do vencimento dos prazos estabelecidos, os bancários exigem que o banco cumpra todos os pontos negociados. Dentre eles, o parágrafo 2º da cláusula 24º estabelece que o Bandes deve apresentar um estudo de viabilidade de flexibilização da jornada de trabalho. O prazo para essa apresentação era março deste ano.

O Bandes alega que analisou possíveis horários, que atendessem colaboradores e a instituição. Contudo, não ouviu os maiores interessados, que são os empregados da instituição. Além disso, o horário de entrada e saída foram mantidos, das 12h às 18horas com 30 minutos de flexibilidade, não atendendo, portanto, à necessidade dos bancários.

Comunicar o Sindicato dos Bancários/ES as admissões realizadas, disponibilizando acesso e local aos novos colaboradores para informações a respeito do Sindicato, foi outra cláusula negociada, mas que não está sendo respeitada. Também está previsto no Acordo Coletivo o início dos trabalhos da Comissão sobre novo modelo de Participação nos Resultados, mas o Banco ainda não cumpriu.

Prevista na cláusula 30ª da minuta do acordo, a Política de Seleção (Acessibilidade a cargos de confiança) ainda não foi implantada pelo banco. Ao invés de implantar critérios claros para acesso dos colaboradores a cargos de confiança do banco, o Bandes criou o projeto “Banco de Potenciais”, o que não atende a categoria. Em carta enviada ao Sindicato dos Bancários/ES, o Bandes apresenta quais medidas foram adotadas em relação às cláusulas.

“A carta deixa evidente que não houve avanços no cumprimento dos pontos em processo de negociação desde o último Acordo Coletivo. As medidas que o banco alega ter tomado não atendem nossas reivindicações e não estão de acordo com as cláusulas negociadas”, frisa o bancário do Bandes e diretor do Sindibancários/ES, Ivaldo Roza Albano.

Além desses pontos, o Bandes ainda descumpre a cláusula que garante o abono assiduidade no Acordo específico do banco e na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). O abono assiduidade foi uma das novas conquistas da Campanha Salarial 2013 e integra pela primeira vez o Acordo do Bandes e a CCT. O entendimento do Sindicato/ES é de que o benefício deve ser cumulativo, mas o banco ainda se recusa a conceder os dois abonos, garantindo apenas um dia de liberação para os trabalhadores.

Imprima
Imprimir