Bancários do Banestes fecham acordo com importantes conquistas

Em assembleia geral realizada na última segunda-feira, 06, os bancários do Banestes aprovaram por ampla maioria a proposta de Acordo Coletivo do banco e decidiram encerrar a greve da categoria. Entre as novas cláusulas da minuta estão a extensão do tíquete-refeição e da cesta alimentação para bancários afastados por doenças por até 2 anos. A […]

Em assembleia geral realizada na última segunda-feira, 06, os bancários do Banestes aprovaram por ampla maioria a proposta de Acordo Coletivo do banco e decidiram encerrar a greve da categoria.

Entre as novas cláusulas da minuta estão a extensão do tíquete-refeição e da cesta alimentação para bancários afastados por doenças por até 2 anos. A proposta avança em relação à da Fenaban, que garante apenas o pagamento da cesta alimentação, e por um prazo máximo de seis meses.

Além disso, os bancários do Banestes conquistaram também o direito de licença por até 30 dias para acompanhamento de filho menor de 18 anos que estiver hospitalizado.

Para Jessé Alvarenga, diretor do Sindicato que integra a comissão de negociação dos empregados, a unidade da categoria foi essencial para garantir as conquistas.

“Tivemos avanços importantes em relação à pauta de saúde e condições de trabalho. Essas conquistas são resultado da luta dos banestianos, que se envolveram e construíram a Campanha Nacional dos Bancários. Vale destacar a participação dos delegados sindicais do Banestes, que foram fundamentais na construção da greve”, diz Jessé.

Ao todo, foram fechadas 61 agências do Banestes em todo o Estado – 45 localizadas na Grande Vitória e 16 no interior.

PLR

Nas cláusulas econômicas, houve avanço em relação à Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O Banestes se comprometeu a pagar a PLR conforme regra da Fenaban, e ainda distribuir uma parte do lucro que exceder o orçamento de 2014, na seguinte proporção: 25% distribuído de forma linear entre os bancários, e 75% proporcional à remuneração de cada empregado.

“A proposta apresentada pelo Sindicato foi de distribuição linear para todos os empregados, mas conseguimos garantir os 25%, o que favorece os empregados com menores salários”, explica Jessé.

Dias parados

Pelo terceiro ano consecutivo, a regra de compensação dos dias parados foi melhor que o acordo nacional. No Espírito Santo, os banestianos compensarão meia hora por dia, entre 15 e 31 de outubro, totalizando 6 horas e meia. Na Fenaban a compensação será de uma hora diária, totalizando 13 horas.

O que prevê a proposta do Banestes:

– Reajuste de acordo com a Fenaban;
– Reajuste de 12,16% nos tíquetes alimentação e refeição (que passam para R$ 1.040,58);
– Extensão do tíquete-refeição e cesta-alimentação para bancários afastados por doenças por até 24 meses;

– Liberação dos bancários ou bancárias por até 30 dias para acompanhamento de filho menor de 18 anos hospitalizado;
– Pagamento da PLR conforme regra da Fenaban, mais distribuição do lucro excedente do orçamento, sendo distribuído 25% de forma linear, e o restante proporcionalmente ao salário do empregado;
– Compensação dos dias parados – meia hora por dia, totalizando seis horas e meia;
– Aumento na contribuição do Banco na Fundação, que passa de 7 para 9%.

Imprima
Imprimir