Bancários do BB fazem ação contra fechamento da agência Moscoso

A ação sindical começou às 9h com conversa na portaria da agência, panfletagem em ruas do Parque e no Mercado da Vila Rubim. Também houve recolhimento de assinaturas num abaixo assinado contra a reestruturação do banco

O Sindicato percorreu algumas comunidades que serão atingidas caso a agência Moscoso, do Banco do Brasil, feche, como o bairro Vila Rubim.

Em luta contra o processo de desmonte imposto pelo governo ilegítimo e golpista de Michel Temer, bancários do Banco do Brasil realizaram na manhã desta quarta (21) ação sindical na agência Moscoso, nas ruas que cercam o Parque e no Mercado da Vila Rubim. Localizada no coração de Vitória, a agência Moscoso é uma das duas unidades do BB a serem fechadas no Espírito Santo com a reestruturação.

A ação começou às 09h e contou com conversa com clientes da agência e moradores da região e comerciantes de rua e da Vila Rubim. Os diretores do Sindicato dos Bancários/ES também rodaram pelo bairro com um abaixo assinado que pede a manutenção da agência e o interrompimento do programa de reestruturação. As assinaturas serão entregues ao banco.

A diretoria do Sindicato percorreu o comércio local para recolher assinaturas para o abaixo assinado

“Fomos muito bem recebidos pela comunidade, que é contra o fechamento da agência porque os prejuízos nas Regiões I e II da capital, que compreendem bairros do Centro e da grande Santo Antônio, são incalculáveis. A agência está situada em uma das regiões mais antigas de Vitória, numa área de grande movimentação comercial e próxima a comunidades populares que serão altamente prejudicadas com a sua extinção”, explica Goretti Baroni, diretora do Sindicato.

As demandas da Moscoso serão absorvidas pela Pio XII, já sobrecarregada e também sob ataque da reestruturação de Temer. Atualmente, a agência possui 11000 contas de pessoa física e 850 contas de pessoa jurídica. O fluxo de clientes é alto, chegando a seis mil pessoas por mês. O potencial de captação é de R$ 56.960 milhões, os empréstimos existentes estão estimados em R$ 230.500 milhões. A agência também opera verba de R$ 160 mil do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura (Pronaf)

“É preciso analisar o impacto do fechamento na vida dos moradores, dos comerciantes e também dos bancários. A redução drástica do quadro de funcionários vai impactar seriamente o atendimento e sobrecarregar agências já combalidas pelo arrocho”, aponta Thiago Duda, diretor do Sindicato.

No Espírito Santo, a reestruturação reduzirá a dotação das agências, cortando 60 postos de trabalho em todo o Estado. A medida aumenta a quantidade de trabalho por empregado e o tempo de espera para atendimento.

Além disso, muitos bancários terão seus salários reduzidos, já que a reestruturação eliminará quase 130 comissões locais, que correspondem, em muitos casos, a quase metade do salário-base da categoria. Isso tudo vem acompanhado da ampliação dos serviços digitais do Banco do Brasil, área que a instituição financeira pretende ampliar, em detrimento do atendimento presencial.

Entenda o desmonte do BB e o impacto no ES

No estado, duas agências serão fechadas: Av. Rio Branco (3877) e Moscoso (3436), localizadas nos bairros Praia do Canto e Parque Moscoso, respectivamente. Outras duas agências serão transformadas em Postos de Atendimento Bancário: Expedito Garcia (5978), em Cariacica, e Jardim Limoeiro (5979), em Serra. A transformação mantém o número de funcionários, mas extingue a função de Gerente Geral. Serão cortados 60 postos de trabalho no Espírito Santo.

O BB também opera a unificação das Plataformas de Suporte Operacional (PSO) com a reestruturação. Existem no estado três Plataformas de Suporte Operacional: em Vitória, Vila Velha e Serra. Sua função é congregar as atividades de suporte e os atendimentos nos guichês de caixa de todas as agências em cada um destes municípios. Com a reestruturação, as três Plataformas serão unificadas, sendo agregados ainda os municípios de Cariacica e Viana. Esses cinco municípios juntos terão menos funcionários no atendimento de caixa do que a estrutura anterior, que atendia a três (3) municípios. Os bancários ainda desconhecem como será o funcionamento das PSO´s nesse novo formato.

A proposta de reestruturação prevê o encerramento de 31 superintendências regionais, fechamento de 402 agências e transformação de outras 379 em postos de atendimento. Simultaneamente, a Direção do Banco está ampliando o atendimento e lançando sua conta totalmente digital (BB Conta Fácil) e demitindo funcionários por meio do Plano Extraordinário de Aposentadoria Incentivada.

Até o final desta semana, a Associação de Moradores, a Associação Comercial da Vila Rubim e outros voluntários continuarão colhendo assinaturas pela região para o abaixo assinado contra o fechamento das agências do Banco do Brasil. É importante que quem ainda não assinou possa a assinar para fortalecer a luta das comunidades que serão atingidas caso o BB não possa mais prestar serviços na localidade. Procure os representantes da Associação Comercial, da Associação de Moradores e outros voluntários.

Imprima
Imprimir