BB: bancários não devem aceitar pressão para aposentadoria

Veja orientações do Sindicato sobre a adesão ao Plano Extraordinário de Aposentadoria Incentivada (PEAI)

Bancários e bancárias aptos a se aposentar não devem aceitar pressão para aderir ao Plano Extraordinário de Aposentadoria Incentivada (PEAI) lançado pelo Banco do Brasil como parte do processo de reestruturação.

Apesar do BB propagandear que não promoverá demissões e que a escolha pelo plano é livre, o Sindicato tem recebido diversas denúncias de assédio para a adesão, o que interfere na liberdade de decisão dos empregados.

Outro problema diz respeito às condições materiais de trabalho após as mudanças. “Muitos empregados foram descomissionados ou tiveram suas agências fechadas, o que mudou subitamente a sua rotina de trabalho e de vida. Nenhuma dessas mudanças foi dialogada, ou sequer comunicada pelo banco com antecedência, um desrespeito aos trabalhadores que constroem no dia a dia a instituição financeira” explica Goretti Barone, diretora do Sindibancários/ES.

A diretora ressalta que os cortes de agências e descomissionamentos têm gerado, na prática, um ambiente que “empurra” os empregados para o pedido de demissão por meio do PEAI, mesmo que esses empregados tenham condições e desejo de permanecer no trabalho. A orientação, contudo, é que eles não cedam à pressão e reflitam antes de tomar uma decisão tão importante.

“É preciso analisar todas as situações, verificar a cobertura da Cassi após a aposentação e fazer os cálculos da Previ para que a decisão seja tomada com segurança. A pressão da direção do banco pode ser entendida como assédio, é outra forma de desrespeitar os funcionários e não pode ser aceita”, diz Goretti.

A dirigente lembra que, se o empregado ainda não for aposentado pelo INSS e quiser se aposentar pela Previ, pode ser prejudicado por uma possível Reforma da Previdência. Além disso, nesse caso, precisa ter 240 contribuições na Cassi para continuar a pertencer ao Plano de Associados. Em caso de dúvidas, o empregado pode consultar o regulamento da Cassi, ou enviar questões diretamente para a Caixa de Assistência para esclarecimentos.

Outra orientação é que os bancários que optarem pela aposentadoria marquem as homologações para o Sindicato, onde receberão apoio jurídico e a assistência necessária, seja nas sede, em Vitória, ou nas subsedes de Colatina, Linhares e Cachoeiro.

Imprima
Imprimir