Bancários do Bradesco realizam Dia Nacional de Luta e retardam abertura de agência

Foi dada a largada para as negociações específicas com o Bradesco na Campanha Salarial 2015. Nesta terça-feira, 23, será entregue a minuta de reivindicações ao banco, em sua sede, na Cidade de Deus, em São Paulo. Os trabalhadores se mobilizam em todo o país para cobrar avanços nas negociações e promovem o Dia Nacional de […]

Foi dada a largada para as negociações específicas com o Bradesco na Campanha Salarial 2015. Nesta terça-feira, 23, será entregue a minuta de reivindicações ao banco, em sua sede, na Cidade de Deus, em São Paulo. Os trabalhadores se mobilizam em todo o país para cobrar avanços nas negociações e promovem o Dia Nacional de Luta. Em Vitória, a abertura da agência do Bradesco no Centro será retardada até as 12 horas.

Foto recortada

Sindibancários/ES paralisaram o funcionamento da agência na manhã desta sexta-feira. (Fotos: Sérgio Cardoso)

Entre os principais eixos da pauta estão a defesa do emprego, o fim do assédio moral e das metas, o oferecimento de um plano de saúde aos empregados e a implantação do Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS). 

“Os bancários do Bradesco sofrem diariamente com sobrecarga de trabalho, pressão para cumprir metas e assédio moral, principalmente aqui no Estado. Com a paralisação de hoje, a categoria diz um ‘basta’ a essa forma de gestão do banco. Durante a ação, recebemos o apoio também dos clientes, que sabem como o Bradesco visa apenas o lucro, em detrimento da valorização dos funcionários e de um atendimento ao público adequado. Vamos continuar mobilizados e se o banco não negociar, seguiremos com o calendário de luta”, destaca o diretor do Sindibancários/ES, Fabricio Coelho. 

Tentando se recuperar de uma perda de mercado no sistema financeiro nacional, o Bradesco aumenta a cada dia a pressão sobre seus funcionários. A cobrança de metas e o assédio moral são cotidianos, e acontecem até mesmo nas áudio e vídeo conferências promovidas pelos gestores. Enquanto isso, o número de funcionários só diminui. Nos últimos 12 meses houve corte de 4.569 postos de trabalho no banco. 

Lucratividade alta

É assim que, mesmo com a crise, o Bradesco continua obtendo altos lucros. Só no primeiro trimestre de 2015, o lucro líquido ajustado foi de R$ 4,274 bilhões, 23,1% maior que o do mesmo período de 2014. Os indicadores do banco revelam aumento da concentração de clientes e da rentabilidade por trabalhador bancário e grande concentração de trabalho. A lucratividade vem também do aumento do número de terceirizados, da arrecadação de altas tarifas e da redução de custos com pessoal e administração, que revelam o direcionamento do banco para uma gestão puramente de mercado.

O Bradesco foi ainda o banco que mais aumentou a quantidade de usuários em canais alternativos no último período, bem como a rentabilidade de operações em tesouraria, gerando preocupação com relação à garantia do emprego. Como se não fosse o bastante, trabalhadores e clientes enfrentam ainda um novo problema: o banco passou a não aceitar o recebimento de contas em suas agências, empurrando os usuários para os correspondentes bancários e se negando a prestar um serviço público intrínseco a suas obrigações.

Por isso, nesta Campanha Salarial os bancários não vão deixar barato! São os trabalhadores em luta por valorização, pela defesa do emprego e pelo respeito ao cliente.

Imprima
Imprimir

Comentários