Bancários do Santander entregam minuta específica

Na última quinta-feira,14, a Contraf, federações e sindicatos entregaram a minuta de reivindicações específicas dos funcionários à direção do Santander, em São Paulo. Na Campanha Salarial deste ano, os bancários vão lutar por avanços no acordo coletivo aditivo, realizado de dois em dois anos, à Convenção Coletiva de Trabalho. A vigência do acordo atual termina […]

Na última quinta-feira,14, a Contraf, federações e sindicatos entregaram a minuta de reivindicações específicas dos funcionários à direção do Santander, em São Paulo. Na Campanha Salarial deste ano, os bancários vão lutar por avanços no acordo coletivo aditivo, realizado de dois em dois anos, à Convenção Coletiva de Trabalho.

A vigência do acordo atual termina no próximo dia 31, assim como encerra o acordo do Programa de Participação nos Resultados Santander (PPRS) e os termos de compromisso Cabesp e Banesprev. Além da atualização de cláusulas do acordo vigente, há várias demandas da minuta anterior de 2012 e novas propostas dos trabalhadores do banco, elaboradas a partir da consulta feita por vários sindicatos aos funcionários.

Os empregados apontaram as prioridades para as negociações específicas, como a garantia de emprego, mais contratações e a manutenção do plano de saúde na aposentadoria nas mesmas condições que são vigentes para os bancários na ativa. O diretor do Sindibancários/ES e bancário do Santander, Jonathas Corrêa, destaca que este é o momento de garantir importantes conquistas para a categoria.

“Esperamos avançar nas negociações e garantir melhores condições de trabalho para os bancários do Santander. Os trabalhadores sofrem com a sobrecarga de trabalho, e uma das principais reivindicações é a contratação de mais empregados. Também vamos lutar para garantir e ampliar a bolsa de estudo, ausência abonada de cinco dias, o auxílio ao estudo de idiomas e o valor mínimo de R$ 2.732,00 do Programa de Participação nos Resultados (PPRS)”, destaca.

Lucro

O Santander obteve lucro líquido gerencial de R$ 2,864 bilhões no primeiro semestre de 2014, que significa 19% do lucro global do banco espanhol, que foi de 2,756 bilhões de euros.

Os bancários do Santander são os únicos da iniciativa privada a contar com acordo coletivo aditivo. O instrumento garante uma série de conquistas e é fruto da mobilização dos trabalhadores oriundos do Banespa à época da sua aquisição pelo banco espanhol, durante o processo de privatizações do governo FHC, em 2000.

A definição da pauta ocorreu durante a reunião ampliada da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander. No Espírito Santo, a minuta foi submetida à aprovação de assembleia na última quarta-feira, 13.

Com informações da Contraf e Seeb São Paulo

Imprima
Imprimir