Bancários e bancárias aprovam fim da greve no Bandes

Em assembleia realizada na manhã desta terça-feira, 07, os trabalhadores e trabalhadoras do Bandes aprovaram o fim da greve, iniciada no dia 30 de setembro. Foram 66 votos favoráveis, 03 contra e 02 abstenções. Além das cláusulas propostas pela Fenaban eles também tiveram conquistas específicas. “Considero que o resultado no Bandes foi satisfatório, principalmente se […]

Em assembleia realizada na manhã desta terça-feira, 07, os trabalhadores e trabalhadoras do Bandes aprovaram o fim da greve, iniciada no dia 30 de setembro. Foram 66 votos favoráveis, 03 contra e 02 abstenções. Além das cláusulas propostas pela Fenaban eles também tiveram conquistas específicas.

“Considero que o resultado no Bandes foi satisfatório, principalmente se compararmos com o conjunto dos demais bancos”, afirma o diretor do Sindicato dos Bancários/ES, Ivaldo Rosa Albano. Além dos 8,5% da Fenaban, os bancários e bancárias do Bandes conquistaram mais 0,5% em cima do índice em todas as verbas salariais. Eles também conseguiram que o vale transporte seja pago em pecúnia. O pagamento deve ser feito até janeiro de 2015. Conquistaram, ainda, o aumento no auxílio creche/babá (De R$ 436,00 para R$ 480,00) e no auxílio funeral (De R$ 823,00 para R$ 900,00).

As outras conquistas além daquelas previstas no Acordo Coletivo da Fenaban são abono assiduidade de mais um dia, totalizando dois dias; e criação de uma comissão paritária para estudar a forma de aplicação da PR Social. A comissão irá atuar entre primeiro de janeiro e 31 de julho.

No parágrafo primeiro do Acordo,  referente à cláusula segunda (Auxílio Alimentação/ Cesta Alimentação), passará a constar que os empregados e empregadas em gozo de auxílio doença ou de acidente pela Previdência Social continuarão recebendo a Cesta Alimentação durante 24 meses ininterruptos de afastamento, sendo que nos 12 primeiros meses o valor será acrescido de 50%. Anteriormente o acréscimo de 50% era somente nos nove primeiros meses.

Das 30 horas de trabalho paralisadas em virtude da greve, os trabalhadores e trabalhadoras do Bandes irão compensar oito. “Mais uma vez demonstramos que a união dos trabalhadores em prol de seus objetivos é fundamental. Assim, até o próximo Acordo Coletivo vamos estar unidos contra toda e qualquer situação que venha trazer transtornos para os bancários em seu local de trabalho. Sindicalize-se e venha somar para fortalecer”, afirma Ivaldo.

Itens da proposta da Fenaban

  • Reajuste de 8,5% no salário e demais verbas salariais, e 9% nos pisos;
  • Reajuste de 12,2% no vale-refeição;

Combate às metas abusivas

Os bancos incluirão na Convenção Coletiva o compromisso de que “o monitoramento de resultados ocorra com equilíbrio, respeito e de forma positiva para prevenir conflitos nas relações de trabalho”. Trata-se de mais um passo no combate às metas abusivas, que tem provocado adoecimento e afastamento de bancários.

Além disso, a cobrança de metas passará a ser proibida não somente por SMS, mas também por qualquer outro tipo de aparelho ou plataforma digital.

  • Adiantamento de 13º salário para os afastados – Quando o bancário estiver recebendo complementação salarial, terá também direito ao adiantamento do 13º salário, a exemplo dos demais empregados.
  • Reabilitação profissional – Cada banco fará a discussão sobre o programa de retorno ao trabalho com o movimento sindical. 
  • Gestantes – As bancárias demitidas que comprovarem estar grávidas no período do aviso prévio serão readmitidas automaticamente. 
  • Casais homoafetivos – Os bancos irão divulgar a cláusula de extensão dos direitos aos casais homoafetivos, informando que a opção deve ser feita diretamente com a área de RH de cada banco, e não mais com o gestor imediato, para evitar constrangimentos e discriminações. 
  • Novas tecnologias – Realização de seminários periódicos para discutir sobre tendências de novas tecnologias.
  • Campanha sobre assédio sexual – Os bancos assumiram o compromisso de realizar uma campanha junto com os bancários para combater o assédio sexual no trabalho.
Imprima
Imprimir