Bancários e bancárias concluem jornada de formação sindical

Dezoito pessoas concluíram o curso, realizado em seis etapas ao longo de um ano. A proposta é contribuir para a organização dos trabalhadores e das trabalhadoras bancárias.

“A sabedoria, assim como os beijos, ainda é transmitida boca a boca”

Terminou no último final de semana mais uma turma do curso de formação política e sindical do Sindibancários/ES. O encontro aconteceu de sábado (06) a domingo (08) na APCEF/ES e foi o último de seis etapas que envolveram 18 participantes no debate dos temas: funcionamento da sociedade capitalista, análise de conjuntura, comunicação e expressão, e concepção, estrutura e prática sindical.

Para Renata Garcia, secretária de formação do Sindicato, fazer o curso é um passo decisivo para a compreensão do momento em que vivemos. “Nosso objetivo é socializar uma chave de compreensão sobre a dinâmica e o funcionamento da sociedade capitalista, um conhecimento fundamental para as nossas tarefas transformadoras. Num momento de defensiva política e teórica, essa reflexão se faz ainda mais necessária para superar esse sistema”.

 

O curso também tem o objetivo de potencializar a participação dos bancários e das bancárias no movimento sindical e contribuir para a organização dos trabalhadores. Marcelo Rios, que é bancário do Banestes há 8 anos, foi um dos cursistas. Ele conta que nunca acompanhou muito as atividades do Sindicato e se surpreendeu com o curso. “Achava que seria um curso para aprender como se faz uma greve, mas passei a conhecer mais as atribuições do Sindicato, sua importância, e também a história de luta dos trabalhadores no Brasil e no mundo. Gostei muito. Vale destacar a boa organização e a atenção dada pelos monitores”, avalia o bancário.

A monitoria do curso ficou por conta dos diretores Thiago Duda, Vinicius Moreira e Rita Lima.

“No curso, a gente experimenta a convivência em grupo, estabelece laços entre as pessoas. O conhecimento é socializado numa via de mão-dupla, monitor-cursista. Essa grupalização, a criação de vínculos e esse caminho de aprendizagem potencializa as possibilidades dos participantes se entenderem enquanto classe, de entenderem o papel da classe se localizando dentro disso. E esse conhecimento reflete nos processos de luta que são feitos a partir do curso”, diz Thiago Duda, que faz parte da nova geração de monitores formados pelo Sindibancários.

O curso anual de formação política e sindical é aberto a toda categoria, mas é especialmente voltado para delegados sindicais e lideranças de base. Bancários e bancárias que tiverem interesse podem se preparar para a próxima turma. As datas ainda não foram definidas, mas o curso deve ser aberto após a Campanha Nacional desse ano.

Imprima
Imprimir