Bancários da Caixa são pressionados pelo banco a fazer venda casada

O Sindibancários alerta que a prática da venda casada, mesmo imposta pelo banco, pode prejudicar o trabalhador

Gerentes e Superintendentes da Caixa têm pressionado os bancários e bancárias, por meio de reuniões com a equipe, à prática da venda casada para abertura de contas, tanto para pessoa jurídica quanto para pessoa física. Essa iniciativa por parte da instituição financeira é contraditória. Afinal, a venda casada é ilegal, conforme consta no Inciso I do artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor, e a Caixa, em seu Código de Ética, se compromete a cumprir as leis.

De acordo com o Diretor do Sindicato dos Bancários/ES, Igor Bongiovani, a prática da venda casada se dá de maneiras diferentes nas agências.

“Em algumas, quando o cliente quer abrir uma conta o bancário é induzido a perguntar se ele quer algum outro produto bancário. Caso não queira, o cliente, após análise de sua documentação, terá a abertura da conta negada com a justificativa de que falta interesse comercial por parte do banco. Mas a verdade é que, salvo raríssimas exceções, a Caixa só está abrindo conta para quem aceita adquirir outros serviços, como cartão de crédito, credenciamento, boleto, cheque especial, entre outros. Assim, a venda casada se dá de forma velada”, diz Igor.

Outras vezes, por pressão da gerência e da superintendência, os bancários e bancárias acabam falando para o cliente que ele só poderá abrir a conta se adquirir outro produto.

“A venda casada fica mais explícita e o trabalhador se expõe a um risco muito grande, pois o cliente pode fazer uma denúncia ao Ministério Público e quem vai ser prejudicado é o bancário, pois foi imposto por parte do banco que os funcionários assinassem um termo se comprometendo a não efetuar venda casada. Ou seja, por mais que a Caixa pressione os trabalhadores para que coloquem em prática a venda casada até para atingir as metas impostas pelo banco, ela quer se isentar da culpa caso ocorra algum problema, jogando a responsabilidade em cima do empregado, como se fosse uma responsabilidade individual dele”, afirma Igor.

O diretor do Sindibancários faz um alerta aos trabalhadores.

“Os empregados que sofrerem pressão e assédio por metas, seja na abertura de conta ou pela venda de qualquer outro produto, devem procurar imediatamente o Sindicato dos Bancários para providências. Orientamos ainda que o bancário e bancária não assuma essa responsabilidade por pressão. Denuncie! É inadmissível que a Caixa descumpra a legislação colocando seus empregados na linha de frente de algo tão grave que é a prática de venda casada, que os penaliza em caso de processo contra a empresa e lesa usuários e clientes do banco, que já sofrem com as altas taxas de juros praticadas pelo sistema financeiro a serviço do grande capital”, diz Igor.

Imprima
Imprimir