Bancários e BB negociam proposta para a Cassi nesta sexta

Uma nova rodada de negociações sobre a Cassi acontece nesta sexta-feira, 10, em Brasília. O Banco do Brasil e as entidades representativas dos funcionários vão discutir propostas para o plano de saúde visando à implantação total do Modelo de Atenção Integral à Saúde, bem como para garantir o equilíbrio e a sustentabilidade financeira da Caixa […]

Uma nova rodada de negociações sobre a Cassi acontece nesta sexta-feira, 10, em Brasília. O Banco do Brasil e as entidades representativas dos funcionários vão discutir propostas para o plano de saúde visando à implantação total do Modelo de Atenção Integral à Saúde, bem como para garantir o equilíbrio e a sustentabilidade financeira da Caixa de Assistência.

As entidades querem um aporte financeiro por parte do banco, garantia do atendimento à saúde após a aposentadoria, manutenção do modelo de custeio solidário e que os associados não sejam os únicos a arcarem com o desequilíbrio financeiro da Cassi.

Na reunião desta sexta, os bancários esperam respostas do Banco do Brasil aos questionamentos feitos no encontro de 9 de junho sobre a proposta apresentada pelo banco. A direção do BB propôs a transferência para a Caixa de Assistência de R$ 5,8 bilhões que estão provisionados no balanço do banco como compromisso com o pós-laboral (aposentados). Com isso, o banco transferiria também a responsabilidade do risco para a Cassi, o que pode significar comprometimento da cobertura em relação à saúde, pois futuros déficits vão onerar exclusivamente os participantes do Plano dos Associados. E mais: o banco propõe que no rateio de futuros déficts seja considerada a idade dos titulares e número de dependentes, o que significaria a quebra da solidariedade, que é um princípio da Cassi.

A proposta apresentada pelos diretores eleitos da Cassi prevê aportes extraordinários por parte do Banco do Brasil em 2015 e 2016 para que seja concluída a implantação do Modelo de Atenção Integral à Saúde, paralisado em cerca de 40% desde 2007. Também prevê medidas na área de regulação e na gestão da rede de prestadores de serviços de saúde.

As entidades esperam resposta do BB sobre essa possibilidade de aporte pelo banco, assim como o recálculo do percentual de contribuição pelo BB enquanto o empregado estiver na ativa para garantir o atendimento quando da aposentadoria.

Imprima
Imprimir

Comentários