Bancários e clientes abraçam agência do BB em protesto contra reestruturação

Agência da Avenida Rio Branco será fechada, prejudicando bancários e mais de 7 mil clientes atendidos na unidade. Reestruturação imposta por Temer é uma das mais cruéis dos últimos anos

Contra a reestruturação e em defesa do Banco do Brasil, o Sindibancários/ES realizou uma ação sindical na agência da Avenida Rio Branco, na Praia do Canto, na manhã desta quinta-feira, 29. Bancários e clientes deram um abraço coletivo simbólico na agência, que será uma das duas a serem fechadas no Espírito Santo. O encerramento das atividades dessa agência afetará negativamente o comércio local e os clientes, em especial os dos bairros localizados no seu entorno, que dependem do atendimento prestado no local.

Durante a ação, clientes aderiram ao abaixo-assinado em defesa do BB e contra a reestruturação (Fotos: Sérgio Cardoso)

Apreensão e indignação também tomam conta dos empregados, que foram surpreendidos com o processo de reestruturação imposto pelo governo golpista de Temer. Ao todo, a agência conta com 11 bancários. Alguns já foram realocados, mas a maioria não sabe sequer onde será seu novo local de trabalho. Além disso, muitos bancários terão seus salários reduzidos, já que a reestruturação eliminará quase 130 comissões locais, que correspondem, em muitos casos, a quase metade do salário-base da categoria.

“Nos reunimos com os bancários e bancárias durante a ação sindical e eles relataram como estão apreensivos com todas as mudanças. O BB impôs essa drástica reestruturação sem nenhum diálogo com os empregados ou com as entidades sindicais, adotando uma postura de total desrespeito com os bancários. Nossa luta contra esse desmonte do BB continua, vamos acompanhar todas as realocações para evitar que os bancários sejam ainda mais prejudicados”, enfatiza a diretora do Sindibancários/ES, Goretti Barone.

Prejuízos

O impacto da reestruturação na agência Rio Branco do BB será grande, pois atualmente ela possui 6.200 contas de Pessoa Física e 1500 contas de Pessoa Jurídica, com um grande fluxo de atendimentos. Possui um volume de aplicação/captação em torno de R$ 204 milhões. Além disso, a agência tem operações de empréstimos em torno de R$ 46 milhões.

As demandas da unidade da Avenida Rio Branco serão absorvidas por agências próximas, que já estão sobrecarregadas. Para piorar, a reestruturação reduzirá a dotação das agências, cortando 60 bancários do BB em todo o Estado. A medida aumenta a quantidade de trabalho por empregado e o tempo de espera para atendimento.

Tire suas dúvidas sobre a reestruturação no BB

Entenda o desmonte do BB e o impacto no ES

No estado, duas agências serão fechadas: Av. Rio Branco (3877) e Moscoso (3436), localizadas nos bairros Praia do Canto e Parque Moscoso, em Vitória, respectivamente. Outras duas agências serão transformadas em Postos de Atendimento Bancário: Expedito Garcia (5978), em Cariacica, e Jardim Limoeiro (5979), em Serra. A transformação mantém o número de funcionários, mas extingue a função de Gerente Geral. Serão cortados 60 postos de trabalho no Espírito Santo.

O BB também opera a unificação das Plataformas de Suporte Operacional (PSO) com a reestruturação. Existem no estado três Plataformas de Suporte Operacional: em Vitória, Vila Velha e Serra. Sua função é congregar as atividades de suporte e os atendimentos nos guichês de caixa de todas as agências em cada um destes municípios. Com a reestruturação, as três Plataformas serão unificadas, sendo agregados ainda os municípios de Cariacica e Viana. Esses cinco municípios juntos terão menos funcionários no atendimento de caixa do que a estrutura anterior, que atendia a três (3) municípios. Os bancários ainda desconhecem como será o funcionamento das PSO´s nesse novo formato.

A proposta de reestruturação prevê o encerramento de 31 superintendências regionais, fechamento de 402 agências e transformação de outras 379 em postos de atendimento. Simultaneamente, a Direção do Banco está ampliando o atendimento e lançando sua conta totalmente digital (BB Conta Fácil) e demitindo funcionários por meio do Plano Extraordinário de Aposentadoria Incentivada.

Até o final desta semana, a Associação de Moradores, a Associação Comercial da Vila Rubim e outros voluntários continuarão colhendo assinaturas pela região para o abaixo assinado contra o fechamento das agências do Banco do Brasil. É importante que quem ainda não assinou possa a assinar para fortalecer a luta das comunidades que serão atingidas caso o BB não possa mais prestar serviços na localidade. Procure os representantes da Associação Comercial, da Associação de Moradores e outros voluntários.

Imprima
Imprimir