Bancários paralisam Superintendência Regional do Santander

Um protesto organizado pelo Sindicato dos Bancários/ES paralisou a Superintendência Regional do Santander e a Agência Reta da Penha, em Vitória, na manhã desta terça-feira, 15. A paralisação envolveu cerca de quarenta bancários e vai até o meio-dia.Apenas um contingente mínimo entrou nas unidades. Os bancários protestaram contra as demissões imotivadas, que contrastam com resultados […]

Um protesto organizado pelo Sindicato dos Bancários/ES paralisou a Superintendência Regional do Santander e a Agência Reta da Penha, em Vitória, na manhã desta terça-feira, 15. A paralisação envolveu cerca de quarenta bancários e vai até o meio-dia.Apenas um contingente mínimo entrou nas unidades.

Os bancários protestaram contra as demissões imotivadas, que contrastam com resultados pra lá de positivos do banco. No segundo trimestre deste ano, o maior banco estrangeiro no Brasil lucrou R$ 3,9 bilhões. Enquanto isso, nas agências, o clima é de pressão sobre os trabalhadores. Alguns gestores adotam a prática do assédio moral, expondo, em reuniões, bancários e bancárias perante os colegas ao cobrar o cumprimento de metas.

15set2015 0604

Bancários colaram cartazes em toda a agência. 

As ameaças de desemprego para quem não atingir resultados são constantes, levando muitos bancários ao adoecimento. De janeiro a agosto, o banco demitiu dezoito pessoas só no Espírito Santo.

Quando alguém sai de licença médica não é substituído, o que traz sobrecarga de trabalho aos demais empregados e mais pressão. No retorno ao trabalho após os afastamentos médicos, os trabalhadores são hostilizados e perseguidos.

A direção do Santander fala nos seus documentos internos em motivação dos funcionários, mas o que se vê é o contrário. “Ninguém é motivado com pressão. Ninguém é motivado com demissões. Ninguém é motivado com cobranças abusivas”, protestam os bancários no panfleto distribuído na manifestação.

Imprima
Imprimir

Comentários