Bancários paralisam unidade do Bradesco em protesto contra a falta de segurança

Em luta por mais segurança nas agências do Bradesco no interior do Estado, o Sindicato dos Bancários/ES ocupou a entrada da unidade do Bradesco, no centro de Vitória, e retardou a abertura da agência até às 12 horas.  Apesar dos altos lucros, as condições de segurança nas agências do interior são alarmantes. O banco, que […]

Em luta por mais segurança nas agências do Bradesco no interior do Estado, o Sindicato dos Bancários/ES ocupou a entrada da unidade do Bradesco, no centro de Vitória, e retardou a abertura da agência até às 12 horas. 

Apesar dos altos lucros, as condições de segurança nas agências do interior são alarmantes. O banco, que faturou mais de 12 bilhões em 2013, insiste em descumprir a lei estadual que obriga a instalação de portas de segurança nas agências e postos bancários, colocando em risco a vida de empregados e clientes. Além disso, os Postos de Atendimento (PA) funcionam sem vigilantes, expondo ainda mais funcionários e população a situações de risco.

Na última sexta-feira, 21, uma bancária foi violentamente agredida durante um assalto no PA de Águia Branca, no Noroeste do Estado. Outros dois postos de atendimento no interior foram assaltados nos últimos dois anos, um no município de Urupi e outro em Vargem Alta, com explosão dos caixas eletrônicos.

“Nos postos do interior, embora haja apenas um funcionário por unidade, cada empregado representa uma vida, e lógica do lucro e do resultado não pode se sobrepor à vida. É fundamental que o Bradesco garanta a segurança não só dos funcionários, mas também dos clientes, por isso estamos em luta”, afirma Fabrício Coelho, bancário do Bradesco e diretor do Sindicato/ES. 

Bradesco 750

Imprima
Imprimir