Bancários podem contar com assistência jurídica gratuita pelo Sindicato. Agende uma visita!

O Sindicato dos Bancários/ES tem recebido denúncias de que trabalhadores do banco Santander, quando pedem demissão ou são demitidos, recebem um telefonema de um escritório particular de advocacia – com o qual nunca fizeram contato – oferecendo assistência jurídica. Cabe esclarecer que, para tal serviço, o escritório estipula 20% de honorários, mais 3% de contador […]

O Sindicato dos Bancários/ES tem recebido denúncias de que trabalhadores do banco Santander, quando pedem demissão ou são demitidos, recebem um telefonema de um escritório particular de advocacia – com o qual nunca fizeram contato – oferecendo assistência jurídica. Cabe esclarecer que, para tal serviço, o escritório estipula 20% de honorários, mais 3% de contador para os cálculos; totalizando para o bancário uma perda de 23% no que ele vier a ganhar na ação trabalhista que mover.

Por outro lado, o Sindicato/ES oferece assistência jurídica gratuita e conta com os advogados o Escritório Ferreira Borges, especializado em advocacia bancária trabalhista e previdenciária, que atua em 5 estados e atende exclusivamente ao Sindicato no Espírito Santo, com zero por cento de honorários para os trabalhadores bancários. Se o bancário entrar com ação judicial no Sindicato, quem paga pelos honorários é o banco, portanto, o trabalhador receberá 100% do valor a que tem direito. Optando pelo escritório particular que entra em contato “misteriosamente”, além de o bancário sair no prejuízo, o banco sai no lucro, afinal, deixa de pagar os honorários judiciais, estipulados em 15% sobre o valor da causa.

Diante destas informações, ressaltamos a importância de a categoria bancária tomar ciência de que dispõe de assessoria jurídica, exclusiva e gratuita para questões trabalhistas.

ENTENDA COMO FUNCIONA O CÁLCULO

Pegamos como exemplo uma ação de R$ 100 mil

Estando assessorado pelo escritório do Sindicato, o bancário recebe os R$ 100 mil e o banco paga à entidade os 15%, ou seja, R$ 15 mil de honorários judiciais por condenação (porcentagem aplicada pelo TRT-ES).

Por outro lado, se assessorado por escritório particular, o bancário recebe R$ 77 mil, o advogado fica com R$ 23 mil que seriam do trabalhador e o banco ainda economiza R$ 15 mil de honorários.

Assistência jurídica do Sindicato dos Bancários

A Secretaria Jurídica do Sindicato atende a todos os bancários, bastando fazer o agendamento pelos telefones 3331 9989 ou 3331 9988. Você também pode enviar um e-mail para o endereço juridico@bancarios-es.org.br

Para mais informações acesse a página da Secretaria Jurídica do Sindicato.

Imprima
Imprimir