Bancários rejeitam contraproposta da Fenaban e decidem manter greve

Reunidos em assembleia geral nesta segunda-feira, 07, no Centro Sindical, os bancários do Espírito Santo rejeitaram por unanimidade a contraproposta da Fenaban às reivindicações da categoria, decidindo manter a greve por tempo indeterminado, conforme orientação do Comando Nacional dos Bancários. “A proposta da Fenaban é insatisfatória diante dos problemas enfrentados pela categoria e diante do […]

Reunidos em assembleia geral nesta segunda-feira, 07, no Centro Sindical, os bancários do Espírito Santo rejeitaram por unanimidade a contraproposta da Fenaban às reivindicações da categoria, decidindo manter a greve por tempo indeterminado, conforme orientação do Comando Nacional dos Bancários.

“A proposta da Fenaban é insatisfatória diante dos problemas enfrentados pela categoria e diante do lucro crescente dos banqueiros. Essa semana é central para o nosso movimento de greve, por isso, precisamos nos manter mobilizados para forçar uma negociação real com os banqueiros “, afirma Carlos Pereira de Araújo (Carlão), coordenador geral do Sindicato dos Bancário/ES, que integra o Comando Nacional de Negociação.

Na última sexta-feira, 04, após 16 dias de greve, a Fenaban apresentou nova proposta que eleva de 6,1% para 7,1% o índice de reajuste sobre os salários (aumento de 0,97% acima a inflação), para 7,5% o reajuste sobre o piso salarial (1,34% acima da inflação), e mantém as regras da PLR, com parcela fixa de 10%. 

Após rejeição da proposta, os bancários fizeram uma avaliação do movimento paredista, analisando a greve e traçando as estratégias de mobilização em cada banco. A expectativa dos trabalhadores é de que a mobilização da categoria pressione os banqueiros a apresentaram uma nova proposta até o fim desta semana.

“Os bancários e toda a sociedade esperam que os banqueiros tenham compromisso e responsabilidade para resolver esse impasse”, conclui Carlão.  

Imprima
Imprimir