Bancários repudiam prática antissindical da Prefeitura de Colatina

Em ato realizado no início da tarde desta terça-feira, 29, o Sindicato dos Bancários prestou solidariedade aos servidores de Colatina e repudiou a prática antissindical do prefeito do município, Leonardo Deptulski (PT), que cortou os salários e abriu processo administrativo contra grevistas. Uma nota de repúdio assinada pelo Sindibancários e a Intersindical – Central da […]

Em ato realizado no início da tarde desta terça-feira, 29, o Sindicato dos Bancários prestou solidariedade aos servidores de Colatina e repudiou a prática antissindical do prefeito do município, Leonardo Deptulski (PT), que cortou os salários e abriu processo administrativo contra grevistas. Uma nota de repúdio assinada pelo Sindibancários e a Intersindical – Central da Classe Trabalhadora foi entregue ao Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Colatina (SISPMC), organizador do ato que aconteceu em frente à Prefeitura.

“Essa postura do prefeito Leonardo Deptulski (PT) é mais um ataque aos direitos dos trabalhadores e não podemos aceitar. O cenário atual é de redução de custos nas costas do trabalhador, e a nossa resposta deve ser a união e a mobilização para barrar esse processo e garantir o cumprimento dos direitos já conquistados. Vamos continuar nesse luta junto com o SISPMC”, destaca o diretor do Sindibancários/ES, Iracélio Lomes.

A greve dos servidores foi suspensa no dia 31 de agosto, após dois meses de paralisação, mas os trabalhadores mantêm o estado de greve e tentam negociar com a Prefeitura. Desde então, no entanto, a Administração Municipal não apresentou nenhum avanço na proposta de apenas 2% de reajuste salarial. Na última sexta-feira, os servidores estatutários foram surpreendidos com o corte dos salários do mês de setembro. A Prefeitura sabe que os servidores trabalharam o mês todo, mas justificou o corte dizendo que o salário é pago tendo como base o ponto do mês anterior, quando a categoria estava em greve. Além do salário, os trabalhadores também ficaram sem o vale-alimentação.

A prática antissindical da Prefeitura não parou por aí. Foi criada uma Comissão de Sindicância para apurar denúncias da secretária de Educação, Maria Auxiliadora Torezani, de abuso na condução do movimento grevista por parte da dirigente sindical Eliane de Fátima Inácio e do servidor Vitor Carlos Gomes de Souza.

“Diante dessa ofensiva do prefeito Leonardo Deptulski (PT), o Sindibancários/ES e a Intersindical prestam solidariedade aos servidores públicos municipais de Colatina e ao SISPMC nessa luta pelo respeito aos direitos da categoria. A atuação do movimento sindical é legítima e toda forma de opressão e perseguição aos trabalhadores deve ser duramente combatida”, afirmam o Sindibancários e a Intersindical na nota de repúdio.

 

Imprima
Imprimir