Bancários discutem estratégias para a greve em plenária nesta segunda-feira

Atividade acontece às 17 horas, no Centro Sindical dos Bancários, e definirá as estratégias para enfrentar a intransigência dos bancos nas negociações

Em greve há 28 dias, os bancários e bancárias capixabas seguem firmes na luta em defesa da pauta da categoria. Nesta segunda-feira, 03, a categoria se reúne em assembleia às 17 horas, no Centro Sindical dos Bancários, em Vitória. Após mais uma rodada de negociação sem avanços e de muitos “nãos”, o momento é de intensificar a greve e mostrar a força da categoria.

Na última sexta-feira, 30, 357 agências foram fechadas em todo o Estado. Com total desrespeito aos empregados, a Fenaban manteve uma proposta com índice rebaixado, de 7% para salários e demais verbas em 2016, com abono de R$ 3,5 mil, além de índice composto de inflação (INPC) mais 0,5% para 2017, em modelo válido por dois anos.  Além de não garantir melhores condições de trabalho, a proposta impõe severas perdas salariais para os bancários. O Comando Nacional rejeitou ainda na mesa de negociação.

“Contamos com a participação de todos os bancários e bancárias capixabas nesta plenária. Vamos avaliar o movimento grevista e definir novas estratégias. Não podemos nos curvar à pressão dos bancos, que mesmo com altos lucros querem impor reajuste abaixo da inflação e manter as péssimas condições de trabalho, com metas e assédios moral, que adoecem a categoria. A nossa vitória depende da união e mobilização de todos bancários, de bancos públicos e privados. Vamos, juntos, mostrar a força da categoria”, convida o coordenador geral do Sindibancários/ES, Jonas Freire.

Participe!

Plenária, às 17 horas, no Centro Sindical dos Bancários

Endereço: Rua Ithobal Rodrigues Campos, 125 – Forte São João – Vitória/ES.

Principais reivindicações dos bancários

• Reajuste salarial: reposição da inflação (9,62%) mais 5% de aumento real.
• PLR: 3 salários mais R$8.317,90.
• Piso: R$3.940,24 (equivalente ao salário mínimo do Dieese em valores de junho último).
• Vale alimentação no valor de R$880,00 ao mês (valor do salário mínimo).
• Vale refeição no valor de R$880,00 ao mês.
• 13ª cesta e auxílio-creche/babá no valor de R$880,00 ao mês.
• Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoecem os bancários.
• Emprego: fim das demissões, mais contratações, fim da rotatividade e combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PLC 30/15 no Senado Federal, além da ratificação da Convenção 158 da OIT, que coíbe dispensas imotivadas.
• Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS): para todos os bancários.
• Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós.
• Prevenção contra assaltos e sequestros: permanência de dois vigilantes por andar nas agências e pontos de serviços bancários, conforme legislação. Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento e biombos nos caixas. Abertura e fechamento remoto das agências, fim da guarda das chaves por funcionários.
• Igualdade de oportunidades: fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência (PCDs).

Imprima
Imprimir