Banco do Brasil apresenta proposta insuficiente e desrespeitosa

Apesar de afirmar que irá manter cláusulas do ACT, BB tem adotado a reforma trabalhista como referência. Comando Nacional orienta rejeição nas assembleias.

Na sexta rodada de negociação específica do BB, realizada na tarde desta terça-feira (7), em São Paulo, o Banco do Brasil apresentou proposta insuficiente e incompleta com a manutenção de itens do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), pela vigência que for firmada na mesa única de negociação. A proposta, porém, não atende as principais reinvindicações da categoria e reafirma a intenção do banco de implementar a reforma trabalhista. Sobre o reajuste, o BB acompanhou a proposta oferecida na mesa única com a Fenaban.

“Total desrespeito! Não apenas essa proposta incompleta, como também a forma como o banco vem tratando os trabalhadores. Temas importantes como fim das metas, do assédio moral e descomissionamentos, que tanto adoecem os bancários, continuam sem respostas e só aumentam nas agências. Há vários relatos de que o banco está forjando situações nas avaliações para descomissionar trabalhadores. Isso é assédio organizacional”, avalia Goretti Barone, do Sindibancários/ES.

Apesar do BB afirmar na mesa que irá manter algumas cláusulas do Acordo Coletivo, a postura que o banco tem adotado nas agências é de implementação imediata da reforma trabalhista.

A proposta do BB será avaliada nesta quarta-feira, 8, na assembleia da categoria, que acontece no Centro Sindical dos Bancários, às 18h30. “É fundamental que bancários e bancárias do BB participem da assembleia hoje pra construir um calendário de lutas e se preparar para a construção de uma greve. Para reverter essa situação, precisamos intensificar as mobilizações”, conclui Barone.

 

Imprima
Imprimir