Banco do Brasil divulga lucro do primeiro trimestre

O lucro líquido do Banco do Brasil foi de R$ 2,359 bilhões no primeiro trimestre de 2016.

O lucro líquido do Banco do Brasil foi de R$ 2,359 bilhões no primeiro trimestre de 2016. Segundo a instituição financeira, houve uma queda de 59,5% se comparado ao primeiro trimestre de 2015. O lucro líquido ajustado foi de R$ 1,286 bilhão, ao se excluir os efeitos de “itens extraordinários”. Assim como nos resultados dos demais grandes bancos do Sistema Financeiro Nacional, a Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (PCLD) foi a principal responsável pela queda dos lucros.

Ao analisar as informações divulgadas pelo banco, nota-se que significativa parte do aumento da PCLD está relacionada ao setor de Óleo e Gás. Percebe-se também que a concentração da Carteira de Crédito vem crescendo ao longo dos anos. “No BB, a PCLD saltou de R$ 5.654 milhões no primeiro trimestre de 2015 para R$ 9.145 milhões no primeiro trimestre deste ano. Boa parte desse incremento se refere a possíveis inadimplências do setor de óleo e gás. A concentração de operações em grandes clientes destoa do papel que o BB e o sistema financeiro nacional deveriam ter segundo o artigo 192 da Constituição Federal, que é promover o desenvolvimento equilibrado do país e servir aos interesses da coletividade”, afirma o diretor do Sindibancários/ES, Thiago Duda.

Outros dados que chamam atenção são o decréscimo do número de funcionários e agências: 1.749 e 116, respectivamente, nos últimos 12 meses. “O BB vem apresentando redução do quadro de pessoal e da rede de agências, o que tem significado grandes lucros e grandes pressões nos trabalhadores, provocando um assustador quadro de adoecimentos no banco. Menos trabalhadores, menos agências e grandes lucros só podem significar sobrecarga de trabalho”, enfatiza Duda.

Imprima
Imprimir