Comando dos Bancários cobra ultratividade e valorização salarial. Negociação deve continuar neste sábado

Fenaban recuou da retirada de direitos da CCT, mas insistem no aumento real de 0,5% já recusado; mesa pode ser retomada no sábado

Em rodada realizada na quinta-feira,23, a Fenaban recuou e afirmou que não haverá mais retirada de direitos nem supressão de cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). No entanto, na sexta-feira, 24, apesar de o Comando estar desde o início do dia aguardando a negociação, os bancos só iniciaram a rodada por volta de 23horas, que se arrastou até a madrugada do sábado. A pausa de quinta para sexta foi solicitada pela Fenaban para fazer consultas às instituições financeiras que mantiveram o aumento real de 0,5% sobre salários, vales, auxílios, valores fixos da PLR, já rejeitada na rodada do dia 22.

Diante dessa situação que se arrasta, o movimento sindical cobrou a ultratividade (acordo que garante os direitos até o fim das negociações) e os bancos vão chamar uma nova rodada para este sábado, 25, para dar a resposta. As mesas específicas do Banco do Brasil e da Caixa Federal só serão retomadas após finalizada a negociação com a Fenaban.

Assembleia Geral

Nesta quarta-feira,29, em todo o Brasil, os bancários realizarão assembleias para definir os rumos da Campanha Nacional. No Espírito Santo, o Sindibancários/ES convoca todos os bancários e bancárias capixabas para participarem da Assembleia  às 18h30 no Centro Sindical da categoria. Durante a atividade também serão apresentadas para apreciação e votação as propostas apresentadas pelo Banestes e o Bandes.

“A postura dos bancos nesta Campanha é de total desrespeito com os bancários e bancárias. Somente após muita pressão eles recuam na tentativa de retirada de direitos. Conseguimos avançar nesses pontos somente após muita pressão, mas ainda é muito pouco. Precisamos fazer um enfrentamento com greve para garantir na Convenção Nacional a manutenção do padrão de contratação, além de valorização salarial. Isso é primordial para a categoria!”, destaca o diretor do Sindibancários/ES, Carlos Pereira de Araújo (Carlão), que representa os bancários capixabas e a Intersindical na mesa de negociação.

Com informações da Contraf

Imprima
Imprimir