Bancos são multados em R$ 6 milhões por falhas na segurança

Equipamentos inoperantes e falta de vigilantes. Essas são algumas das falhas graves cometidas pelos bancos e que colocam em risco a vida de bancários e clientes. Na última quarta-feira, 20, a Polícia Federal (PF) multou 13 bancos em R$ 6,071 milhões por falhas na segurança de agências e postos de atendimento bancário, durante a 102ª […]

Equipamentos inoperantes e falta de vigilantes. Essas são algumas das falhas graves cometidas pelos bancos e que colocam em risco a vida de bancários e clientes. Na última quarta-feira, 20, a Polícia Federal (PF) multou 13 bancos em R$ 6,071 milhões por falhas na segurança de agências e postos de atendimento bancário, durante a 102ª reunião da Comissão Consultiva para Assuntos de Segurança Privada (CCASP), em Brasília. Pela quarta vez consecutiva, o Banco do Brasil foi o mais punido, com multas de R$ 2,114 milhões, seguido do Santander com R$ 1,250 milhão, do Itaú com R$ 975 mil, do Bradesco com R$ 863 mil e da Caixa Econômica Federal com R$ 395 mil.

Estiveram em pauta 544 processos contra bancos, todos movidos pelas delegacias estaduais de segurança privada (Delesp), por causa do descumprimento da lei federal nº 7.102/83 e das portarias da Polícia Federal. Houve também punições contra empresas de segurança, transportes de valores e cursos de formação de vigilantes. A reunião foi presidida pela delegada Silvana Helena Vieira Borges, titular da Coordenadoria-Geral de Controle de Segurança Privada (CGCSP).

“As multas recebidas pelos bancos repetidas vezes mostram que, para o banco, vale a pena burlar a legislação e não investir em segurança, pois o valor da multa não é nada se comparado aos milhões que os banqueiros ganham. O Banco Central e os legisladores devem aumentar esse valor, além de fechar as agências que insistem em passar por cima da lei. É um absurdo os banqueiros tratarem os bancários e a população com tanto descaso em relação à segurança. Também é absurdo ver que um banco federal lidera a lista dos mais multados por não investir em segurança”, afirma o coordenado geral do Sindicato dos Bancários/ES, Carlos Pereira de Araújo, o Carlão.

As principais infrações cometidas pelos bancos foram equipamentos inoperantes, número insuficiente e falta de rendição de vigilantes no horário de almoço, transporte de valores feito por bancários, inauguração de agências sem plano de segurança aprovado pela PF e cerceamento a policiais federais para fiscalizar estabelecimentos dos bancos, dentre outras.

Veja o montante de multas por banco:

Banco do Brasil – R$ 2.114.893,43
Santander – R$ 1.250.415,40
Itaú – R$ 975.504,10
Bradesco – R$ 863.744,87
Caixa – R$ 395.864,35
Banrisul – R$ 199.355,94
HSBC – R$ 154.306,21
Banco da Amazônia – R$ 42.568,26
Banco Rural – R$ 21.284,13
Banco do Nordeste – R$ 21.282,00
Alfa – R$ 10.642,06
Mercantil do Brasil – R$ 10.642,06
Safra – R$ 10.642,06

Total: R$ 6.071.144,87

A CCASP é integrada por representantes do governo e entidades dos trabalhadores e dos empresários. A Contraf é a porta-voz dos bancários. A Febraban representa os bancos. Foi a terceira reunião da CCASP em 2014. A próxima ainda será agendada.

Com informações da Contraf

Imprima
Imprimir