Bandes e Banestes: bancários aprovam propostas e estratégias para a Campanha Salarial

Em plenária realizada no último sábado, 26, bancários aprovaram a manutenção do padrão de contratação como um dos principais eixos da Campanha

Bancários e bancárias do Banestes e do Bandes aprovaram a defesa da renovação do acordo como um dos principais eixos da Campanha Salarial (Fotos: Sérgio Cardoso)

Bancários e bancárias do Banestes e do Bandes se reuniram em plenária no último sábado, 26, para discutir e aprovar as propostas e estratégias para as campanhas salariais específicas deste ano. A abertura da atividade foi marcada pelo debate sobre a conjuntura política e econômica atual, que contou com a presença do assessor jurídico do Sindibancários/ES, André Moreira.

Os impactos da reforma trabalhista na categoria bancária foram alguns dos principais pontos discutidos. O fim da garantia da estabilidade após dez anos de função, a prevalência do negociado sobre o legislado e a extensão da carga horária são algumas das mudanças previstas na reforma trabalhista e que afetam diretamente a categoria bancária.

André Moreira alerta que as negociações devem acontecer dentro da data-base

“Caso a convenção não seja renovada até a data-base, os direitos garantidos exclusivamente nos acordos coletivos simplesmente cessam. Por isso é importante garantir que as negociações aconteçam dentro da data-base. E este ano será extremamente definitivo para o futuro dos bancários, que não podem aceitar redução sobre direitos históricos. Além de resistir como categoria, é preciso impedir que os bancos avancem sobre as pessoas para fazer negociações individuais. Se a reforma foi feita para atingir principalmente os bancários, é preciso que vocês resistam com mais força ainda”, alertou Moreira.

Campanha Salarial

A defesa do Banestes público e estadual, da Banescaixa, a manutenção do padrão de contratação e nenhum direitos a menos foram alguns dos principais eixos aprovados pelos bancários durante a plenária. Para garantir a vitória nas negociações, é preciso mobilizar a categoria em todo o Estado, como destacou o coordenador geral do Sindibancários/ES, Jonas Freire.

Jonas Freire salientou que é preciso envolver não somente os bancários na Campanha, mas também os clientes

“Neste ano temos que dialogar com os colegas no nosso local de trabalho, envolver todos os bancários nesta campanha, pois nossos direitos estão ameaçados. Temos que dialogar também com a população sobre como ela é afetada pela precarização do trabalho bancário e pela política de gestão adotada pelo banco, que tem como uma das consequências o fechamento de agências. O peso dos bancários na mesa de negociação dependerá da nossa movimentação na base, na rua”, enfatizou.

Bandes

Entre as principais reivindicações aprovadas pelos empregados do Bandes estão o aumento para 12%  da contribuição do banco para a previdência privada dos funcionários (PGBL), a revisão do auxílio-refeição e cesta-alimentação, a fim de recompor o poder de compra dos trabalhadores, revisão do plano de carreira, acessibilidade a cargos, e a manutenção do padrão de contratação, para que os empregados não sejam atingidos pela terceirização ou outras formas de contratos precários autorizados pela reforma trabalhista.

“Com as alterações da reforma trabalhista precisamos garantir nesta Campanha Salarial que nossos direitos sejam garantidos, principalmente a manutenção do padrão de contratação, já que estamos sob forte ameaça da terceirização. Precisamos ampliar nossa mobilização e nós, bancários do Bandes, precisamos participar ativamente da greve fortalecendo o movimento de toda a categoria, colocando assim mais peso a nosso favor nas negociações com os banqueiros”, destaca o diretor do Sindibancários/ES, Dimitri Salviato.

Mobilização

A mobilização dos bancários e bancárias e a construção de uma greve forte serão fundamentais para garantir no acordo os direitos já conquistas. “É Importante nos assumirmos como uma classe única e precisamos lutar, juntos, para garantir nossos direitos. O cenário atual é muito preocupante. Por isso, precisamos estar conscientes de que é fundamental participarmos efetivamente da greve, independente do cargo que ocupamos”, declarou a bancária Elainy Dias, empregada do Banestes há cinco anos.

Bancário do Bandes, Robson Avelino também participou da plenária e destacou a importância do envolvimento da categoria na campanha. “Temos que construir uma pauta de reivindicações que atenda aos anseios e as reivindicações dos bancários. E para garantir novas conquistas, precisamos da participação de todos os empregados do banco”, enfatiza Avelino, bancário do Bandes há 14 anos e atual representante dos empregados no Conselho de Administração do Bandes.

Caixa e BB

Bancários e bancárias da Caixa e do BB também participarão de seus congressos específicos. O Conecef, que é voltado para os trabalhadores e trabalhadoras da Caixa e está na sua 34ª edição, será em São Paulo, nos próximos dias 07 e 08 de junho. Os debates terão como eixos Nenhum Direito à Menos, Caixa 100% Pública, Saúde Caixa e Funcef, Saúde e Condições de Trabalho. Os delegados e delegadas escolhidos no encontro específico da Caixa na Conferência Estadual dos Bancários e das Bancárias participarão do Conecef.

Congresso Nacional

Também nos dias 07 e 08 de junho, em São Paulo, acontecerá o 29º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil. A diretora do Sindicato dos Bancários/ES Evelyn Flores lembra que é fundamental fortalecer a luta pela manutenção do padrão de contratação, uma vez que o Banco do Brasil foi a primeira instituição financeira a criar uma agência com um quadro de funcionários 100% terceirizado, e isso pode se expandir para as demais agências e também para outros bancos.

Imprima
Imprimir