Banestes anuncia lucro e mantém precarização do trabalho

Investindo em cortes no setor administrativo, o Banestes teve aumento de 43,85% no lucro líquido de 2013. O balanço do banco foi divulgado nesta quarta-feira, 26, e aponta um lucro de R$ 109,94 milhões. Segundo a instituição, esse aumento é resultado do crescimento das receitas com operações de crédito e na tesouraria, além de redução […]

Investindo em cortes no setor administrativo, o Banestes teve aumento de 43,85% no lucro líquido de 2013. O balanço do banco foi divulgado nesta quarta-feira, 26, e aponta um lucro de R$ 109,94 milhões. Segundo a instituição, esse aumento é resultado do crescimento das receitas com operações de crédito e na tesouraria, além de redução nas despesas operacionais e administrativas.

O alcance de quase o dobro do lucro alcançado em 2012, que foi de R$ 76,43 milhões, se deve principalmente ao modelo de gestão do Banestes, baseada na sobrecarga de trabalho sobre seus empregados aliada à reduzida contratação de bancários, mesmo diante do aumento da oferta de serviços pelo banco. Segundo dados divulgados, o banco “enxugou” gastos administrativos em 1,46% e operacionais em 21,8%, ao todo equivalente a R$ 22,46 milhões. 

“Apesar dos altos lucros e o planejamento para que as receitas continuem crescendo, o Banestes não prioriza a qualidade das condições de trabalho e a valorização dos seus empregados, seja antigos ou novos. O banco ainda não implementou o plano de cargos e salário, o Plano Salto. O que queremos é um plano que contemple e valorize os bancários e bancárias. O Banestes não tem um programa de carreira, em que o empregado possa vislumbrar a possibilidade de crescimento”, destaca o bancário do Banestes e diretor do Sindicato dos Bancários/ES, Jonas Freire. 

A falta de estrutura para os empregados é outro fator apontado pelo diretor. “O Banestes não investe em seus empregados. Falta estrutura de trabalho, não há oportunidades de capacitações, além da baixa remuneração dos bancários e bancárias. Com o reduzido número de empregados e a sobrecarga de trabalho, os bancários não têm disponibilidade de tempo para se aperfeiçoarem. Essa questão implica diretamente na qualidade do serviço oferecido à população”, frisa.

O avanço na carteira de crédito em 9,99% foi outro fator apontado pelo banco que contribuiu para o aumento do lucro. Para elevar a receita em 2014, o Banestes anunciou que continuará a investir na expansão da carteira de crédito, entre 15% e 18%, e no faturamento do Banescard.

Imprima
Imprimir