Banestes demora iniciar negociação e segue Fenaban sem apresentar proposta

A primeira rodada de negociação aconteceu nesta segunda-feira, 06, e terminou sem avanços sobre a pauta de reivindicações dos banestianos

Após mais de 45 dias com a minuta em mãos, o Banestes chamou a comissão de negociação do Sindibancários/ES para a primeira rodada de negociação, na tarde desta segunda-feira, 06, mas não apresentou nenhuma proposta. O banco se negou a assinar o pré-acordo, que garante a manutenção da data-base, das cláusulas do acordo coletivo ainda vigente até a assinatura de um novo acordo, da mesa de negociação e da renovação do Acordo Coletivo.

Sem avançar em nenhuma cláusula, o Banestes reafirmou que seguirá a orientação da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e marcou uma nova da rodada de negociação nesta quarta-feira, 08, às 10horas.  No dia anterior, nesta terça-feira, 07, uma  nova negociação acontece com a Fenaban, em São Paulo, quando os bancos prometem apresentar uma proposta global.

“Depois desse longo tempo sem nos dar sequer uma resposta, esperávamos que o Banestes apresentasse alguma proposta concreta, que pudesse ser levada aos banestianos. Mas ao contrário dos anos anteriores, quando as negociações começavam com antecedência, a atual direção do Banestes marca uma negociação tardia e não apresenta proposta. Esperamos que na quarta-feira a direção do Banestes cumpra o prometido e apresente, de fato, uma resposta às reivindicações da categoria e garanta os direitos do nosso acordo específico”, enfatiza o diretor do Sindibancários/ES, Jessé Alvarenga.

Assembleia Geral

Nesta quarta-feira, às 18h30, bancários e bancárias se reúnem na Assembleia Geral Extraordinária da categoria, no Centro Sindical dos Bancários, em Vitória. Durante a atividade serão avaliadas a proposta geral da Fenaban e as propostas específicas da Caixa, Banco do Brasil e Banestes.

“É muito importante a participação de todos os banestianos nesta assembleia. Vamos discutir e votar as propostas e definir novas estratégias de luta. Precisamos estar preparados para fazer uma greve forte e garantir nossos direitos conquistados ao longo de décadas”,  convida o coordenador geral do Sindibancários/ES, Jonas Freire.

Confira algumas das reivindicações dos banestianos

  • Índice de reajuste de 15% mais inflação do período.
  • Pagamento de 14º salário.
  • O Acordo Coletivo continuará válido até o final das negociações e celebração do novo acordo.
  • Criação de comissão para revisão e alteração da forma de contribuição da Banescaixa.
  • Contratação de mais bancários.
  • Manutenção do Banestes 100% público e estadual.
  • Contribuição do banco à Banescaixa, no mínimo, de forma paritária, e na forma de percentual, na mesma proporção das contribuições dos empregados ativos, aposentados e seus dependentes do Sistema Financeiro Banestes.
  • Não contratação de bancários terceirizados em atividade fim ou por meio de outros modelos de contrato, como autônomos, intermitentes, temporários, a tempo parcial e 12×36.
  • Garantia da jornada de seis horas.
  • O Banestes se obriga a manter o controle das doenças ocupacionais e acidente do trabalho ocorridos nas suas dependências, bem como o reconhecimento dos acidentes de trajeto.

 

Imprima
Imprimir