BB amplia programa de remuneração variável

O programa, que antes era limitado aos níveis gerenciais, será estendido para assistentes, caixas e escriturários. O Sindicato dos Bancários/ES critica a medida e alerta que a remuneração variável é mais uma estratégia para aumentar a exploração do trabalhador bancário.

As novas medidas de reestruturação do BB lançadas na última semana foram precedidas pelo anúncio da ampliação e remodelação do Programa Extraordinário de Desempenho Gratificado (PDG), com integração do Programa de Ascensão Profissional. O BB divulgou as mudanças na última quarta-feira, 03, pela Agência de Notícias interna.

O programa, que antes era limitado aos níveis gerenciais, será estendido para assistentes, caixas e escriturários. O Sindicato dos Bancários/ES critica a medida e alerta que a remuneração variável é mais uma estratégia para aumentar a exploração do trabalhador bancário.

“Primeiro o banco substitui salário por comissão, depois descomissiona o máximo de empregados possível, reduz o nível do salário para estabelecer uma remuneração vinculada à produção. É perverso porque tira qualquer segurança do trabalhador e instala um clima de assédio e competição insustentável no local de trabalho”, argumenta Thiago Duda, diretor do Sindicato.

As regras do programa preveem pagamento de até um salário por semestre, conforme os resultados obtidos, mas o Sindicato alerta que, embora sedutor, o benefício não chegará a todos os empregados, pelo contrário. Para o funcionário estar habilitado a receber o benefício, a agência precisa bater 100% da meta, assim como a carteira, além de cumprir outros critérios.

“Os parâmetros a serem atingidos para receber a gratificação são muitos. No final, menos de 10% dos funcionários vão receber o benefício e o banco será o grande favorecido, tendo todos os bancários competindo para bater as metas”, justifica Duda.

Ainda que todas as agências alcancem os requisitos do programa, um limite máximo de 30% delas poderá receber a gratificação, que será paga em tíquete. Vale lembrar que, pela regra, a remuneração variável, mesmo quando paga em dinheiro, não gera nenhum reflexo salarial para o empregado, seja de INSS, férias ou 13º salário.

Condições de trabalho

A diretora Evelyn Flores chama a atenção para o possível agravamento dos problemas de condições de trabalho.

“O banco vem passando por um processo de reestruturação desde novembro de 2016 que já demitiu mais de 10 mil empregados. Acabou de lançar novas medidas de corte de funções e um novo plano de demissão voluntária. O que o BB quer é compensar a falta de funcionários fazendo todo mundo trabalhar em dobro, mas a tendência é que fique cada vez mais difícil alcançar as metas pelas próprias condições de trabalho”.

 

Imprima
Imprimir