Bradesco lucra R$17 bilhões em 2016

O lucro do banco mostra que não há crise para banqueiros

O Bradesco divulgou os números referentes ao seu lucro em 2016. No ano passado, o Lucro Líquido Ajustado do banco foi de R$ 17,121 bilhões. Esse valor significa uma pequena redução de 4,2% em relação ao ano de 2015, mas, ainda assim, trata-se de um lucro exorbitante. Segundo análise feita pelo Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos e Estatística (Dieese), no último trimestre de 2015 o lucro registrado foi de R$ 4,385 bilhões, com queda de 1,7% na comparação com o mesmo período de 2015.

“O momento em que a gente vive, comparando com o lucro dos bancos nos últimos anos, mostra que com crise ou sem crise, com inflação ou sem inflação, os banqueiros nunca perdem. Normalmente, quem sai perdendo são os trabalhadores e clientes, que têm que lidar, por exemplo, com o número reduzido de bancários nas agências, sobrecarregando os funcionários e precarizando o atendimento aos usuários”, salienta o diretor do Sindicato dos Bancários/ES, Fabrício Coelho.

De acordo com os dados divulgados pelo Bradesco, o número de empregados da holding em dezembro de 2016 era de 108.793, sendo que em dezembro de 2015 era de 92.961, havendo, portanto, um aumento de 17,2%. Entretanto, a elevação no número de funcionários não é sinônimo de mais contratações, e sim, reflexo da incorporação dos trabalhadores do HSBC Brasil.

Fabrício destaca outros motivos pelos quais os bancos têm lucros bilionários.

“Também contribuem para essas altas cifras a falta de controle social no sistema financeiro, ausência de legislação que limite a propriedade do dinheiro e a possibilidade dos bancos serem credores de uma dívida pública inexistente”, diz.

O sindicalista faz uma breve análise da situação dos trabalhadores e trabalhadoras do Bradesco.

“Eles são os menos valorizados dentro de uma categoria que não é valorizada em relação ao que produz. Por isso, temos que nos unir para lutar por melhores condições de trabalho”, afirma.

Com informações da Contraf

Imprima
Imprimir