Caixa ameaça bancários com fim de funções comissionadas

Sem nenhuma negociação, banco determina que avaliação negativa na Gestão de Desempenho de Pessoas resultará em perda de função

Mais uma canetada da direção da Caixa determinou que apenas uma avaliação negativa na Gestão de Desempenho de Pessoas (GDP) pode resultar em apontamento para descomissionamento (MO21182). A medida, que consta na nova versão (041) do RH 184, publicada nessa segunda-feira, 25, vale para todas as funções comissionadas, mas afeta particularmente os gestores.

A avaliação na GDP tem relação direta com as metas e muitas vezes é baseada em critérios arbitrários, impostos pela chefia, e seu resultado sofre interferências de problemas fora do controle dos empregados comissionados, como crise econômica e diminuição do consumo de produtos bancários; elevação dos custos das tarifas da Caixa; ou ainda aumento da taxa de juros, que pode levar clientes a fecharem a conta no banco.

“A GDP é um instrumento de assédio inaceitável e destrói a solidariedade entre os trabalhadores, uma vez que individualiza as metas inatingíveis. Além disso, o modelo da GDP é adoecedor e pode destruir a carreira do bancário que, por qualquer motivo alheio a sua vontade e pela precariedade das condições de trabalho hoje oferecidas pela Caixa,  não cumprir o contrato acordado na GDP.”, enfatiza a diretora do Sindibancários/ES, Lizandre Borges.

O fim da GDP é uma das principais reivindicações dos bancários e bancárias da Caixa que foi debatida no 34º Conecef e incluída na pauta específica de reivindicações dos empregados da Caixa, que será negociada com a direção do banco na Campanha Nacional 2018.

Garantia de 60 dias: bancários devem denunciar

A versão 033 do RH 184, de 2016, determinava o descomissionamento sumário no caso de o empregado receber um apontamento (MO21182). Mas após negociação, o movimento sindical conseguiu extinguir a possibilidade de perda de função na análise preliminar dos processos de apuração. Além disso, o empregado só poderá ser descomissionado após o segundo apontamento (MO21182) que só poderá ocorrer após 60 dias do primeiro.

Apesar de a Caixa agora ter incluído a GDP no MO21182 como razão de apontamento para descomissionamento, os empregados ainda têm o prazo de 60 dias. Os bancários que levarem apontamentos de descomissionamento (MO21182) ou anotação negativa na GDP devem denunciar ao Sindibancários/ES antes do prazo de 60 dias, por meio de um dirigente sindical, pelo site, ou pelo telefone 3331-9980. O sigilo é absoluto.

Negociação coletiva

Em 2016 e 2017, o movimento sindical realizou plenárias com os trabalhadores para discutir os descomissionamentos arbitrários. Os debates  resultaram em 12 propostas que foram encaminhadas à direção do banco. A Caixa só cedeu em não retirar a função dos empregados durante análise preliminar de processos disciplinares e criou um prazo de 60 dias no qual a comissão dos empregados indicados pelo MO21182 não pode ser retirada.

Com informações do site www.spbancarios.com.br

Imprima
Imprimir