Caixa anuncia antecipação da segunda parcela do PLR

Os empregados da Caixa recebem nesta sexta-feira, dia 20 de fevereiro, o pagamento da segunda parcela da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). A antecipação foi anunciada pelo banco nesta quinta-feira (19) e uma vitória da categoria. A Caixa creditará a segunda parcela da PLR com base no lucro de R$ 7,1 bilhões obtido no […]

Os empregados da Caixa recebem nesta sexta-feira, dia 20 de fevereiro, o pagamento da segunda parcela da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). A antecipação foi anunciada pelo banco nesta quinta-feira (19) e uma vitória da categoria. A Caixa creditará a segunda parcela da PLR com base no lucro de R$ 7,1 bilhões obtido no ano passado. O aditivo ao acordo coletivo 2014/2015 prevê que o benefício seja pago até 31 de março

Em 2014, a Caixa obteve um lucro 5,5% superior a 2013, de R$ 7,1 bilhões. O crescimento contínuo da Caixa é fruto do trabalho e dedicação dos bancários e bancárias, como destaca a diretora do Sindibancários/ES e bancária da Caixa, Lizandre Borges.

“A PLR é uma conquista histórica da categoria bancária.  E a antecipação é mais uma vitória.. Mesmo sendo submetidos a péssimas condições de trabalho, escassez de pessoal e à pressão, os bancários e bancárias se dedicam diariamente para que a  Caixa se consolide, a cada ano,  como um banco forte, rentável e lucrativo”, destaca.

O pedido para antecipar a parcela foi feito por meio de carta enviada ao presidente da Caixa, Jorge Hereda, no último dia 12,  pela Contraf e a Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa).

PLR na Caixa

Na Caixa, a Participação nos Lucros e Resultados foi composta por regra básica Fenaban, prevista na Convenção Coletiva de Trabalho 2014/2015 dos bancários, correspondente a 90% do salário mais R$ 1.837,99, limitado a R$ 9.859,93; parcela adicional, também presente na CCT, que representa 2,2% do lucro líquido do banco dividido pelo número total de empregados em partes iguais, até o limite individual de R$ 3.675,98; e a PLR Social, equivalente a 4% do lucro líquido, distribuídos linearmente para todos os trabalhadores. No ACT 2014/2015, a empresa assegurou pelo menos uma remuneração base para todos.

Isenção de IRPF

Tudo que for recebido de PLR (primeira e segunda parcelas) até o limite de R$ 6.270 está isento de Imposto de Renda de Pessoa Física. Acima desse valor, a tributação é escalonada entre 7,5% e 27,5%. A luta para garantir essa conquista começou em 2011 e resultou na MP 597, que entrou em vigor em 1º de janeiro de 2013. Além dos trabalhadores dos bancos públicos e privados, a regra vale para petroleiros, metalúrgicos, químicos e urbanitários de todo o país.

Com informações da Fenae.

Imprima
Imprimir