Caixa discrimina empregados e nega promoção a mais de 13 mil bancários

Na última terça-feira, 16, a Caixa apresentou à Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) os números da promoção por mérito ano-base 2015. De acordo com os dados, 91.928 dos 97.462 trabalhadores do banco eram promovíveis, dos quais 63.520 (69,1%) receberão um delta e 14.991 (16,3%) serão contemplados com dois deltas. No entanto, o banco negou a […]

Na última terça-feira, 16, a Caixa apresentou à Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) os números da promoção por mérito ano-base 2015. De acordo com os dados, 91.928 dos 97.462 trabalhadores do banco eram promovíveis, dos quais 63.520 (69,1%) receberão um delta e 14.991 (16,3%) serão contemplados com dois deltas. No entanto, o banco negou a promoção a 13.417 bancários e bancárias (14,6%), reforçando o caráter excludente dessa sistemática.

Dentre os critérios objetivos a serem analisados está a conclusão de 30 horas anuais de estudo da Universidade Caixa. De acordo com a cláusula 57º o Acordo Coletivo do banco, os empregados têm direito a dedicar seis horas mensais, dentro da sua jornada de trabalho e em local apropriado, ao cursos da Universidade. No entanto, a Caixa desrespeita esse cláusula e não garante esse direito a todos os bancários e bancárias.

“Na maioria das unidades, não são garantidas as condições necessárias para que o bancário possa fazer os cursos. Além de não ter estrutura física, os bancários estão sobrecarregados de trabalho, devido à escassez de empregados, e não conseguem dedicar as horas necessárias aos cursos. Por esse e outros motivos, essa sistemática de promoção é extremamente excludente. Entendemos que todo bancário tem direito à promoção, uma vez que seu trabalho contribui para o crescimento e os altos lucros do banco”, enfatiza a diretora do Sindibancários/ES, Lizandre Borges.

A diretora orienta ainda que aqueles empregados da base do Espírito Santo que não foram promovidos por não conseguirem a pontuação necessária no quesito da Universidade Caixa, que procure o Sindibancários/ES para verificar a viabilidade de uma ação individual contra a Caixa.
Na reunião de terça-feira, a Caixa confirmou que os reajustes da promoção por mérito serão creditados na folha de fevereiro, retroativos a janeiro.

O pagamento não foi feito no mês passado por conta de problemas no sistema, o que obrigou a área responsável a realizar um novo processamento dos dados. No caso das referências do Plano de Cargos e Salários (PCS) de 2008, por exemplo, cada delta representa 2,33% de aumento.

Sistemática

A sistemática da promoção por mérito 2015, com reflexos neste ano, foi divulgada no dia 25 de maio. Foi garantido um delta com 40 pontos, 10 a menos que na metodologia anterior. Os critérios objetivos foram distribuídos da seguinte forma: 20 pontos pela conclusão de 30 horas anuais de módulos da Universidade Caixa, cinco pontos pela participação no Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e outros 15 pontos para a frequência medida pelo Sistema de Ponto Eletrônico (Sipon).

A sistemática também considerou critérios subjetivos, que garantiram até 20 pontos. Cada empregado indicou de dois a oito empregados da sua unidade (preferencialmente da sua equipe) que atenderam aos critérios de avaliação como relacionamento no ambiente de trabalho e contribuição para a solução de problemas. A distribuição dos 20 pontos variou em função do número de indicações, que tiveram relação com o número de indicações recebidas. Foi garantida também a pontuação extra de 10 pontos para iniciativa de autodesenvolvimento.

Com informações da Fenae.

Imprima
Imprimir

Comentários