Lucro da Caixa aumenta em 2015, mas número de empregados diminui

Nesta terça-feira, 8, a Caixa Econômica Federal anunciou seu lucro líquido de 2015, que, segundo a instituição financeira, foi de R$ 7,2 bilhões. Esse valor, de acordo com o banco, representa um aumento de 0,9% em relação a 2014. Mesmo assim, a Caixa fechou 3219 postos de trabalho no ano passado. “Mais uma vez o […]

Nesta terça-feira, 8, a Caixa Econômica Federal anunciou seu lucro líquido de 2015, que, segundo a instituição financeira, foi de R$ 7,2 bilhões. Esse valor, de acordo com o banco, representa um aumento de 0,9% em relação a 2014. Mesmo assim, a Caixa fechou 3219 postos de trabalho no ano passado.

“Mais uma vez o lucro foi maior do que o do ano anterior, o que demonstra o comprometimento dos empregados com a empresa. Os números divulgados mostram que a Caixa tem total condição para contratar mais bancários e melhorar as condições de trabalho, que estão cada vez piores”, diz a diretora do Sindicato dos Bancários/ES, Lizandre Borges.

Com a divulgação dos resultados, a Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) está pressionando para que o banco efetue o pagamento da segunda parcela da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) nesta quarta-feira, 9 de março, já que a instituição financeira afirmou que a PLR seria paga após o anúncio do balanço. “Esperamos que a Caixa pague imediatamente, pois a maioria dos bancos já cumpriu o Acordo Coletivo no que diz respeito à Participação nos Lucros e Resultados”, pontua Lizandre.

Na Caixa, a Participação nos Lucros e Resultados foi composta pela regra básica Fenaban, prevista na Convenção Coletiva de Trabalho 2014/2015 dos bancários, correspondente a 90% do salário mais R$ 2.021,79, limitado a R$ 10.845,92; parcela adicional, também presente na CCT, que representa 2,2% do lucro líquido do banco dividido pelo número total de empregados em partes iguais, até o limite individual de R$ 4.043,58; e a PLR Social, equivalente a 4% do lucro líquido, distribuídos linearmente para todos os trabalhadores.

A primeira parcela, correspondente a 60% do total a ser recebido, foi creditada no dia 6 de novembro do ano passado. O que for recebido de PLR até R$ 6.677,55 está isento de Imposto de Renda Pessoa Física. Acima disso, a tributação é escalonada.

Com informações da Fenae

Imprima
Imprimir